Jornal do Commercio
Crime

Suspeito de tráfico usa filho de 9 meses para não ser preso

Homem suspeito de tráfico de drogas na região de São Caetano, no Agreste, usou o filho de nove meses como escudo para tentar não ser preso

Publicado em 15/07/2017, às 09h55

Caso ficará a cargo da Polícia Civil de São Caetano / Foto: Reprodução/Google Street View
Caso ficará a cargo da Polícia Civil de São Caetano
Foto: Reprodução/Google Street View
JC Online

Um homem de 23 anos suspeito de traficar drogas fez o próprio filho de nove meses refém para não ser preso. O caso aconteceu nessa sexta-feira (15), no Loteamento Nossa Senhora de Fátima, em São Caetano, no Agreste do Estado.

Segundo a Polícia Militar, Walafe Francisco da Silva, conhecido como "neguinho", estava vendendo entorpecentes na região. Quando a polícia chegou ao local onde o homem morava, ele pegou um revólver calibre 38 e fez o filho de escudo. Depois de negociações, o rapaz aceitou se entregar.



Com ele, foram apreendidos ainda R$ 275 em espécie, 115 "big-big" de maconha e 60 pedras de crack. Segundo o delegado José Lusiga, o suspeito já foi preso em 2013, também por tráfico de drogas e atualmente estava em prisão domiciliar. Walafe será apresentado a uma audiência de custódia na cidade de Arcoverde, no Sertão do Estado.


Recomendados para você


Comentários

Por ronaldo,15/07/2017

"BONZINNNN""""!!!!!! CADEIA NESSE BICHO DO MAL!!!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM