Jornal do Commercio
Desarmamento

Operação Desarmamento já recebeu mais de 400 armas este ano em PE

Maior parte das armas foram levadas a postos de Coleta Itinerante que visitam cidades recolhendo os artefatos

Publicado em 17/07/2017, às 17h28

Polícia Militar já recebeu 423 armas na Operação Desarmamento / Foto: ABr
Polícia Militar já recebeu 423 armas na Operação Desarmamento
Foto: ABr
JC Online

Somente nos primeiros seis meses deste ano, a Polícia Militar de Pernambuco já recolheu 423 armas de fogo entregues voluntariamente por pessoas que não tinham autorização para o porte do armamento. De acordo com balanço do órgão, a maior parcela dos artefatos foram levadas até postos de Coleta Itinerante, um serviço que visita as cidades recolhendo os objetos.

O recebimento das armas é administrado pela Operação Desarmamento por meio da Diretoria de Articulação Social e Direitos Humanos (DASDH) da PM. Dos 423 objetos recolhidos, 346 foram entregues no Posto de COleta Itinerante, sendo a Zona da Mata e o Agreste a região líder na entrega de armas nestes postos, com 187 unidades. Na Região Metropolitana, foram entregues 125 unidades e outras 34 no Sertão.



Operação Desarmamento

Segundo a PM, uma equipe da DASDH visita escolas, centros comunitários e rádios locais para sensibilizar a população, além de posicionar viaturas em locais estratégicos por alguns dias. Além dos artefatos levados até os postos especializados, outras 77 armas foram encaminhadas para quarteis que também recebem armas através do programa. A Campanha do Desarmamento também atua em grandes eventos, para a prevenção de crimes.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM