Jornal do Commercio
Sertão

Jovem é suspeita de matar homem que passou a mão em suas nádegas

Crime aconteceu em Petrolina, no Sertão. Jovem de 19 anos teria usado canivete para esfaquear homem de 42 anos

Publicado em 14/09/2017, às 08h58

Mulher teria esfaqueado homem na Rua Dom Vital / Foto: Google Maps
Mulher teria esfaqueado homem na Rua Dom Vital
Foto: Google Maps
JC Online

Uma jovem de 19 anos é a principal suspeita de esfaquear e matar um homem de 42 anos em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Segundo testemunhas, a mulher teria ficado revoltada porque o homem teria passado as mãos em suas nádegas.

O crime aconteceu na Rua Dom Vital, em um ponto próximo ao mercado turístico, no Centro da cidade. Após ser agredida por Antônio Fernando Santos, a jovem identificada como Sulamita Kelly Rodrigues Farias teria ido até a casa dela e voltado para o local com um canivete.

Investigações

Segundo as investigações, Antônio foi ferido com golpes de canivete na região do tórax. A equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) foi acionado, fez os primeiros socorros e, em seguida, levou a vítima ao hospital. Apesar de todos os esforços, o homem não resistiu aos ferimentos e morreu.



Para o delegado Magno Neves, Sulamita pode responder pelo crime de homicídio privilegiado, que é aquele cometido sob o domínio de violenta emoção, seguido a injusta provocação da vítima. "Caso seja confirmado o abuso anterior sofrido por ela, ela vai responder por homicídio privilegiado, no lugar de homicídio qualificado. Ela fugiu do local, então isso deve ser apurado de forma concreta e clara para que a justiça possa ser feita", afirmou.

Logo após a confusão, Sulamita ainda teria sido vista voltando para casa, mas a suspeita fugiu em seguida. A Polícia faz buscas para tentar encontrar a jovem.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Muniz Nunes,15/09/2017

Infelizmente foi fatal, era para ter cortado apenas o pênis desse tarado - só de aviso. O nosso governo e a polícia não fazem nada, a população tem de ter o direito de defesa.

Por AMANDA,15/09/2017

Que bom, que todas sigam esse exemplo e não precisa fugir não ! Já que a policia não resolve nos resolvemos :*

Por Mendes,15/09/2017

Faz a famosa audiência de custódia. que ela é solta.

Por Legítima defesa,15/09/2017

Polícia e justiça não tem quem prender a jovem agiu em legítima defesa.a fragilidade da jovem mulher perante ao meliante homem.já caracteriza a legítima defesa.

Por Tafarel ,14/09/2017

Parabéns a moça. Estava no direito de se defender. Não acho desproporcionalidade. O homem agiu de forma errada e tem mais força. A mulher com a faca estava em pé de igualdade com o homem. Portanto acho que está tudo equilibrado e a moças estava apenas zelando por seu direito à honra.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM