Jornal do Commercio
Segurança pública

Homicídios: Pernambuco é o 4º Estado mais violento do País

Os dados de homicídios foram divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta segunda-feira (30)

Publicado em 30/10/2017, às 19h52

Pernambuco registrou 4.479 assassinatos em 2016 / Foto: Arquivo JC/Imagem
Pernambuco registrou 4.479 assassinatos em 2016
Foto: Arquivo JC/Imagem
Da Editoria Cidades

Com 4.479 homicídios registrados em 2016, Pernambuco ocupa o 4º lugar no ranking brasileiro de mortes violentas intencionais, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (30) no 11º anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Só fica atrás da Bahia (7.110), Rio de Janeiro (6.262) e São Paulo (4.925). Em 2015, Pernambuco estava na 6ª colocação, com 3.889 homicídios.

“As estatísticas confirmam Pernambuco como o quarto Estado mais violento do Brasil”, declara Tales Ferreira, um dos integrantes do Movimento PE de Paz, criado em fevereiro último por igrejas e instituições sociais cristãs em função do aumento da violência no Estado. “Um dado preocupante da pesquisa é a diminuição nos investimentos em segurança pública no Brasil inteiro”, ressalta.

No Brasil, o número de mortes violentas intencionais passou de 58.870 em 2015 para 61.619 em 2016, um crescimento de 3,8%. Isso representa uma média de 7 assassinatos por hora. A taxa de homicídios no País subiu de 28,8 por 100 mil habitantes em 2015 para 29,9 em 2016. Pernambuco está acima da média nacional, com taxa de 47,6 homicídios por 100 mil habitantes em 2016 e crescimento de 14,4% em relação a 2015.

Levando em consideração a taxa de assassinatos, o Estado não tem o que comemorar. Saiu do 7º lugar em 2015, com 41,6 homicídios por 100 mil habitantes para a 6ª posição em 2016. No Nordeste, os Estados com maiores taxas são Sergipe (de 57,3 assassinatos por 100 mil habitantes para 64 no mesmo período), Rio Grande do Norte (de 48,2 para 56,9) e Alagoas (de 54,1 para 55,9).

HOMICÍDIO DOLOSO

A situação também não é confortável para Pernambuco no tocante a homicídios dolosos. Sexto colocado no ranking de 2015, com 3.750 casos, o Estado agora está em 3º lugar, com 4.276 crimes em 2016. A Bahia detém a primeira colocação, com 6.328 casos, e o Rio de Janeiro está na segunda posição, com 5.042. O País passou de 52.675 homicídios dolosos em 2015 para 54.356 em 2016.



Enquanto no Brasil a taxa de homicídios dolosos cresceu 2,4%, passando de 25,8 casos por 100 mil habitantes em 2015 para 26,4 em 2016, Pernambuco registra uma variação de 13,2%, bem acima da média do País. A taxa de 40,1 assassinatos dolosos (quando houve intenção de matar) em 2015 chegou a 45,4 em 2016.

O anuário também traz informações sobre latrocínios (assalto seguido de morte). Foram 2.703 casos no Brasil em 2016 e 2.406 em 2015. A taxa nacional passou de 1,2 por 100 mil habitantes em 2015 para 1,3 em 2016, com crescimento de 11,5%. Pernambuco registrou 169 latrocínios em 2016 contra 116 em 2015 e com isso a taxa aumentou de 1,2 por 100 mil habitantes para 1,8, gerando uma variação de 44,7% (acima da média nacional).

APAGÃO

Tales Ferreira também chama a atenção para o que os pesquisadores do Fórum Brasileiro de Segurança Pública chamam de apagão estatístico. “Sentimos em Pernambuco a ausência de informações completas, ninguém consegue entender as raízes da violência sem dados detalhados. É preciso divulgar nome, idade, cor, se é homem ou mulher, onde morava e onde morreu”, cita como exemplos.

Ao comentar a pesquisa, o governador Paulo Câmara disse que o Estado sempre divulgou os dados da violência e desde 2014 os números vêm aumentado (já ocorreram 4.145 no Estado, de janeiro a setembro deste ano). “Estamos trabalhando para reverter, temos 20 mil novos policiais nas ruas contratados, mais 1.300 PMs na academia e teremos mil policiais civis em janeiro nas delegacias. Estamos em busca de diminuir esse número”, declara. O Fórum usa como fonte de dados os registros policiais de instituições de segurança pública do País.


Recomendados para você


Comentários

Por Dri Van Harten,31/10/2017

Quem puder se mande daqui por um tempo. Medo, vergonha e dizem que ainda pode piorar.

Por ismael barbosa campos,31/10/2017

Parabéns senhor governador logo, logo chegaremos no topo.

Por arruda,31/10/2017

Pelo que vemos, o nosso Governador tem interesse na primeira colocação. Avante Pernambuco, imortal, imortal!

Por César,31/10/2017

O Pacto pela vida.de Paulo Câmara.estar enterrado na cova do ex- governador.

Por zeca,31/10/2017

Onde estão as autoridades que governam esse pais que não cuidam da segurança das pessoas? Será que só deva existir segurança em Brasília onde estão os políticos desonestos desse pais? Com certeza todos eles devem andar com carros blindados e com guardas costa para se protegerem. E o povo desempregado e na pobreza haja a matar uns aos outros. Triste realidade do Brasil.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM