Jornal do Commercio
Indiciamento

Motorista que matou três na Tamarineira pode pegar até 70 anos de prisão

O motorista João Victor Ribeiro será indiciado por homicídio doloso e lesão corporal, pois, para a Polícia, ele assumiu risco de matar ao dirigir bêbado

Publicado em 05/12/2017, às 11h31

João Victor teve ferimentos leves e está preso preventivamente no Cotel / Felipe Ribeiro/JC Imagem
João Victor teve ferimentos leves e está preso preventivamente no Cotel
Felipe Ribeiro/JC Imagem
Da Editoria de Cidades

O estudante João Victor Ribeiro Leal, de 25 anos, que dirigia o Ford Fusion a 108km/h que atingiu a Toyota RAV4 onde estava a família do advogado Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, 46, no último dia 26, na Tamarineira, Zona Norte do Recife, e matou três pessoas, pode pegar até 70 anos de prisão se condenado. O delegado Paulo Jean, responsável pelas investigações, encaminhou o inquérito ao Ministério Público e indiciou o motorista por triplo homicídio doloso, pois ele assumiu o risco de matar ao beber e dirigir em alta velocidade, e lesão corporal dupla grave, já que o advogado e a filha dele, Marcela, de 5 anos, permanecem internados. 

No acidente, morreram a esposa de Miguel, Maria Emília Guimarães, 39 anos; seu filho Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, 3; e a babá grávida de três meses Roseane Maria de Brito, 23. Paulo Jean afirmou que o jovem não irá responder pelo aborto de Roseane por não saber que a babá estava grávida e não haver tipificação na legislação para o caso. 

"O depoimento dos amigos dele, que afirmaram que começou a beber por volta das 12h do domingo, entrando pela noite, e do médico que o atendeu na UPA foram essenciais para que fechássemos o inquérito em homicídio doloso", explicou o delegado. Paulo Jean também afirmou que o exame de drogas não foi feito pois o de alcoolemia já era suficiente. O Ministério Público de Pernambuco tem cinco dias para analisar o inquérito e dar prosseguimento a ação penal, além de pedir prorrogação da prisão do jovem. 



Prisão

João Victor está preso preventivamente no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. A Justiça negou pedido inicial de seu advogado para que ele trocasse o presídio por uma clínica de tratamento para pessoas com dependência química. A família afirma que ele já foi internado duas vezes, em 2014 e 2016.

Amigo que prestou depoimento à polícia informou que eles beberam um litro de uísque em uma hora e Victor ficou passando mal, instantes antes do acidente, por volta das 19h30. Ele teria sido deixado pelos amigos dormindo no carro, com a chave na ignição para que o ar-condicionado ficasse ligado. Em alta velocidade, Victor avançou o sinal vermelho, no cruzamento da Avenida Rosa e Silva com Rua Cônego Barata, atingindo a lateral do carro da família Motta Silveira. 

Enquete


Recomendados para você


Comentários

Por Paulo,06/12/2017

Tem que morrer.

Por Mark Twain,06/12/2017

Aqui nos Estados Unidos da América, pegaria pena de morte ou perpétua prisão, a depender do Estado em que tal crime foi praticado. Aliás, devemos lembrar aqui que os órgãos de trânsito aí em Pernambuco foram coniventes com o marginal, haja vista ao fato de que ele, inicialmente, tempos atrás, teria a CNH suspensa. Entrou com recurso junto ao DETRAN/PE, ganhando a ação, conservando a habilitação para dirigir. Mas a grande mídia se cala diante desse fato, para não bater de frente com quem lhe garante polpudas verbas de propaganda. A população, alienada, pouco lida, pouco informada, ignorante, estupida e ignóbil, prefere ir dar abraço nos outros lá no cruzamento, local do acidente. Não adianta resmungar pelas redes sociais. Melhor ir votar bem nas próximas eleições, de modo que as Casas do Congresso aí no Brasil tenham condições de modificar as leis penais, processais penais e de execução penal. Aliás, não se cumpre mais de trinta anos de prisão aí no Brasil. Mesmo com a unificação das penas, o sujeito cumpre no máximo, trinta anos. Modificando a Lei de Execução Penal, aí sim, ter-se-á condições de colocar o safado, por exemplo, em prisão perpétua ou mesmo adotar a pena de morte. Brasileiro, povo fracassado. Então eu digo sempre: nós americanos somos a salvação do mundo! God Bless America! We are so proud!

Por Luiz Félix de Freitas Silva,05/12/2017

Duvido que esse facínora bêbado-emaconhado passe muito tempo preso. Num país de leis vagabundas, de políticos bandidos e de um presidente que não vale nem o que gato enterra, bandido nenhum fica na cadeia por muito tempo. Mas, aquele verme asqueroso tem que sofrer terrivelmente e em seguida viajar para as entranhas do inferno e encontrar Satanás de braços abertos para recebê-lo. Um cidadão revoltado, torcendo que isso aconteça. Luiz Félix.

Por Monteiro,05/12/2017

Aposto que não passa nem 7

Por Antonio Florindo (Ce),05/12/2017

Infelizmente vivemos em um pais onde reina a impunidde,onde as leis nao sao claras dando vazao à interpretaçoes dubias. Entretanto como esperar que seja diferente quando temos um presidente criminoso no poder,como esperar que as esferas inferiores funcione se nao há exemplos da parte de cima do poder.Estamosa merce da sorte. Maracanau 05/12/17



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM