Jornal do Commercio
Descaso

Jovem é espancado e espera 6 horas por socorro em Olinda

Um jovem, acusado de ter roubado um celular, foi espancado por um homem com chutes e socos na cabeça às 3h da madrugada. O serviço se atendimento só fez o socorro da vítima por volta das 9h30 da manhã

Publicado em 11/02/2018, às 17h51

Depois de agredir, o rapaz foi embora afirmando que buscaria uma arma para voltar e matar o suspeito / Foto: Jennifer Thalis/SJCC
Depois de agredir, o rapaz foi embora afirmando que buscaria uma arma para voltar e matar o suspeito
Foto: Jennifer Thalis/SJCC
JC Online

Um jovem foi espancado por volta das 3h da madrugada deste domingo (15) por outro rapaz na Avenida PE-15, em Olinda, Região Metropolitana do Recife. O agressor da vítima acusava o rapaz de ter roubado o celular de sua namorada.

De acordo com populares, por volta das 3h da madrugada um homem estava acompanhado de sua namorada, voltando do carnaval, quando gritou ''pega ladrão'' e acusou outro rapaz que passava na rua de ter roubado o aparelho celular de sua companheira.

O homem então agrediu o suspeito com socos, pontapés e chutes, a maioria na região da cabeça. Segundo populares, depois de agredir o jovem, o rapaz foi embora afirmando que buscaria uma arma e voltaria para matar o suspeito.

De acordo com um vigia do local, que teria impedido que o agressor continuasse espancando o suspeito, o celular da moça não teria sido encontrado com a vítima. Já outros populares afirmaram que o rapaz estava com o celular.



Sem socorro

Por volta das 3h19 da madrugada duas viatura do Batalhão de Polícia de Rádio patrulha (BPRp) chegaram ao local para fazer a segurança do suspeito, que se encontrava desacordado, até a chegada da ambulância. Os policiais decidiram por não fazer o socorro da vítima para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima pelo fato de a maioria das lesões terem sido no pescoço e na cabeça da vítima e eles não terem condições de imobilizá-la para não causar mais lesões durante o trajeto para o hospital.

As duas viaturas com cerca de 7 policiais permaneceram no local à espera da ambulância até às 5h da madrugada, quando foram embora. De acordo com moradores da região, o socorro só veio chegar por volta das 9h30 da manhã.

A reportagem tentou contato com o SAMU, mas não atenderam à ligação. A Polícia Militar da região informou não conter o registro dessa ocorrência no histórico. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM