Jornal do Commercio
VIOLÊNCIA

Homem é preso suspeito de cometer pelo menos seis assaltos na Zona Sul

Bigão, como é conhecido, foi abordado por policiais militares, que encontraram com ele uma arma usada para praticar os assaltos

Publicado em 12/04/2018, às 16h48

Ele roubava celulares e vendia para obter lucro sobre o produto  / Foto: Cortesia/Polícia Civil
Ele roubava celulares e vendia para obter lucro sobre o produto
Foto: Cortesia/Polícia Civil
JC Online

Um homem foi preso suspeito de cometer vários assaltos na Zona Sul do Recife. De acordo com o delegado Ramon Teixeira, responsável pelo caso, há o registro de pelo menos 6 ocorrência de roubo praticadas pelo rapaz.

Rodrigo da Silva Ribeiro, conhecido como Bigão, foi detido na quarta-feira (12), por agentes da Polícia Militar, por estar portando arma de fogo.

Ao encaminhar o suspeito à delegacia de Boa Viagem, na Zona Sul da capital, no mesmo momento havia uma pessoa registrando queixa contra ele. Bigão foi reconhecido pela vítima, que confirmou a forma que ele agia.

"Sempre de bicicleta e armado, ele era violento com as vítimas e roubava os celulares delas", destaca o delegado. Bigão também foi reconhecido como autor de roubo a um médico, ocorrido na manhã do dia 9 de abril, na mesma localidade onde foi autuado em flagrante.



Ele já estava sendo procurado pela polícia

Com o registro do roubo ao médico, a Polícia Civil iniciou as investigações contra o rapaz que já era conhecido pela corporação.

Após a divulgação da imagem dele como sendo procurado pela polícia, Bigão deixou a comunidade onde reside. "Poucos dias após o início das diligências para prendê-lo, ele foi abordado em outro local, quando foi encaminhado à delegacia e preso", conta Ramon Teixeira.

O delegado destaca a importância da população não comprar produtos roubados

"Seja através de sites de compra e venda, onde se pode comercializar sem nota fical, ou em feiras de troca, não compre celulares de, no mínimo, procedência duvidosa", fala Ramon.

O delegado ressalta que, "caso o comprador seja abordado por algum agente, que conste que ele porta produto fruto de roubo, será autuado por receptação e responderá à Justiça''.


Recomendados para você


Comentários

Por Catarina,12/04/2018

Pois é. Enquanto a população for RECEPTADORA de produtos roubados, este tipo de crime irá continuar. Por isso devemos sempre exigir a nota fiscal. Se disser que não tem, pede para ir na loja pegar uma segunda via.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM