Jornal do Commercio
Inovação

Novas frutas no Vale do São Francisco

Pesquisas ainda estão sendo validadas pela Embrapa, depois disso, o plantio será realizado em escala comercial

Publicado em 25/08/2012, às 14h30

Do JC Online

Pesquisas desenvolvidas no semi-árido nordestino apontam uma perspectiva positiva no que diz respeito ao plantio de frutas que tradicionalmente se desenvolvem em regiões mais frias do país. Há sete anos, órgãos como a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba) monitoram a implantação de cacaueiro, pereiras, macieiras e caquizeiros em áreas dos projetos de irrigação senador Nilo Coelho e Bebedouro, em Petrolina. As novas culturas foram introduzidas em áreas experimentais e também em propriedades de agricultores interessados em abraçar estas novas perspectivas.

“O acompanhamento das atividades é feito semanalmente. Visito as áreas experimentais e faço as recomendações técnicas necessárias para promover a produção de frutas nas condições climáticas do Vale”, explica o pesquisador da Embrapa, Paulo Roberto Lopes. “As culturas escolhidas para os experimentos foram aquelas cultivadas sob irrigação que poderiam ter um retorno econômico. Para se ter uma ideia, as variedades de pereira e macieiras que estamos pesquisando necessitam de, no mínimo, 400 horas de frio, com temperatura inferior a 7,2ºC. Aqui no vale do São Francisco não temos nem um minuto sequer com essa temperatura e, no entanto, estamos produzindo maçãs, peras, caquis e outras frutas”.

Tomando como exemplo a cultura do caqui, as pesquisas apontam que a produção local pode chegar a 15 toneladas por hectare no quarto ano de cultivo. Em regiões como Sul e Sudeste, onde tradicionalmente é produzida de fevereiro a julho, esse volume só é alcançado entre o 6o e 8o ano. Na entressafra, a fruta é importada de países como Espanha e Israel, e isso causa um impacto no bolso do consumidor.

“O Vale do São Francisco necessita de mais opções de plantio, uma vez que as atuais culturas já estão com uma área bastante expressiva. As novas culturas também visam ao plantio para as novas áreas que a Codevasf está implantando no vale. A empresa transformou a região e hoje busca a continuidade do seu crescimento”, enfatiza o agrônomo e fiscal da Codevasf nesse projeto, Osnan Ferreira. “As pesquisas ainda estão passando por um processo de validação por parte da Embrapa. Após essa fase, serão repassadas as informações para os demais produtores interessados no plantio em escala comercial”.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Dossiê das torcidas organizadas Dossiê das torcidas organizadas
Série de reportagens mostra a atuação das torcidas organizadas em Pernambuco a partir de 2001, ano da primeira morte em consequência dos confrontos
Fora dos trilhos Fora dos trilhos
Dez anos depois do início das obras da Transnordestina, o pouco que foi construído está abandonado. Era 'o sonho' de uma ligação férrea entre o litoral e o interior do Nordeste
Expedição Antártida Expedição Antártida
A editora Mona Lisa Dourado e o repórter fotográfico Igo Bione acompanham parte das atividades da 32ª Operação Antártica, a convite da Marinha do Brasil

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM