Jornal do Commercio
Transtorno

Falta de estrutura e desorganização marcam acesso a Serra Negra

O cantor Petrúcio Amorim, atração no último sábado (17), foi um dos que reclamou do acesso ao São João de Serra Negra

Publicado em 19/06/2017, às 10h07

Muitas pessoas subiram a Serra a pé / Foto: Lucas Almeida/ TV Jornal
Muitas pessoas subiram a Serra a pé
Foto: Lucas Almeida/ TV Jornal
Vinícius Barros
Com informações da Rádio Jornal

Congestionamento e desorganização. O caminho para curtir os festejos juninos em Serra Negra, no município de Bezerros, Agreste do Estado, passou por trânsito caótico, de acordo com os que escolheram a cidade como destino neste final de semana. O primeiro problema foi já na subida para o evento, marcado pela lentidão. Já no Alto da Serra, o problema foi o estacionamento.

De acordo com o bacharel em direito Paulo Ricardo da Silva, o trajeto foi um caos. "Subi a serra a pé. Tinham dois ônibus quebrados, motoristas fazendo fila dupla e só tem duas faixas sem acostamento. Ninguém subia, nem descia", afirmou.

Outra crítica foi sobre a falta de organização no acesso aos shows. "Os agentes de trânsito não tinham pulso, sabiam nem o que fazer, quem organizava eram os motoristas de ônibus. O show foi legal, mas eu não vou mais".

Uma das atrações do último sábado (17), o cantor Petrúcio Amorim relatou em entrevista à Radio Jornal que enfrentou dificuldades na chegada. "Essa subida está muito complicada, muitos ônibus que atrapalham bastante porque são muito lentos, é uma procissão de carro, chega estressa a gente um pouco", comentou o forrozeiro, que passou duas horas no percurso entre o Centro da cidade e o Alto da Serra.



Um grupo de Limoeiro também sofreu com o trânsito travado. Eles esperaram 3h para que tratores retirassem os veículos atolados na lama que havia na pista.

 

 

 

Resposta da Prefeitura

Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura de Bezerros a situação foi complicada nos dois dias de apresentações. "A festa tomou uma proporção inesperada. A gente não tem tanto espaço pra estacionamento e precisamos encontrar algum paliativo para o próximo final de semana, que são os dias da festa de São João. Uma opção seria proibir a subida de ônibus e fazer esta parte do trajeto com vans".

Ainda de acordo com a assessoria, uma reunião está marcada para a tarde desta segunda para encontrar soluções para os próximos dias de shows. O aumento no espaço destinado ao estacionamento e no efetivo de agentes de trânsito são alguns dos assuntos que serão discutidos.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Recomendados para você


Comentários

Por Carlos Junior,19/06/2017

Tentei subir a serra más infelizmente não consegui,voltei frustrado.

Por Alberto Ubirajara Pinheiro Vieira,19/06/2017

A solução para esse problema é muito simples. Só sobe de carro quem tem casa na Serra. Faz um cadastramento das pessoas que tem casa la, coloca um adesivo e só sobe quem tem casa. E os demais, turistas que vão de carro, a prefeitura disponibilizava um local para deixarem os carros la em baixo, com segurança e cobrava um valor de estacionamento com direito ao ônibus de ida e volta. Qual a dificuldade de se fazer isso? La em baixo tem muito espaço para isso e tenho certeza que a maioria de quem gostam da serra iriam gostar dessa ideia.

Por Bruno Leonardo,19/06/2017

Todo mundo resolve subir a serra na mesma hora, ontem eu fui as 10h e ainda não havia trânsito. Esse ano já aconteceu uma grande melhoria na estrutura da festa, um dos poucos locais em que se encontra tradição, segurança, ambiente familiar, clima, autêntico pé de serra, etc. O congestionamento é retrato do sucesso do festejo. Tentem ir mais cedo, assim como voltar mais cedo. A festa da Serra é boa demais!!!

Por suselaine alves de souza,19/06/2017

Como eu digo o problema do Brasil é o brasileiro. Já fui muitas vezes para Serra Negra,antes de virar esse point que esta hoje. A Serra não suporta a quantidade de publico que esta visitando o local. Em Caruaru você tem vários pontos que as pessoas podem se espalhar;lá não, é um único local. Ontem tive amigos que passaram 6h na subida e depois tiveram que ir andando,contaram sobre o desapontamento que tiveram pois sempre falei muito bem do local,reclamaram do lixo ,todo mundo quer levar a farofada,as bebidas,bancos,cadeiras e colocar no meio do salão depois sai e deixa a sujeira. Fui por 4 anos seguidos e sempre foi muito bom,não tiro a responsabilidade da prefeitura pela desorganização mas boa parte disso é culpa da falta de educação das pessoas que querem sempre primeiro eu,fazendo fila dupla,andando pela contra-mão etc. Creio que a unica solução é descer a festa para cidade e na serra ficar só a apreciação do local para visitas rápidas pois a Serra não suporta mais a sujeira e a desorganização.

Por Monica Barbosa,19/06/2017

Acredito que os organizadores não esperava um publico tão grande.As vezes as pessoas só criticam sem da uma opinião que ajude na resolução do problema.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM