Jornal do Commercio
SAÚDE PÚBLICA

Marcar consulta no Huoc é árdua tarefa

Pane no sistema de informática do Hospital Oswaldo Cruz atrapalhou o processo, mas doentes reclamam também da longa espera, falta de médicos e equipamentos

Publicado em 20/09/2012, às 06h15

Pacientes penam para ser atendidos no Hospital Oswaldo Cruz / Bobby Fabisak/JC Imagem

Pacientes penam para ser atendidos no Hospital Oswaldo Cruz

Bobby Fabisak/JC Imagem

 

Uma pane no sistema de informática do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), em Santo Amaro, área central do Recife, atrapalhou durante esta quarta-feira a marcação de consultas na unidade que é referência do SUS para doenças graves. O problema gerou protestos dos usuários, muitos deles do interior, que reclamam também de outras dificuldades no Huoc, como espera longa para atendimento, quebra de equipamentos e falta de médicos em diferentes especialidades. As queixas quanto ao tempo de espera também se estendem ao Pronto-Socorro Cardiológico (Procape), outro hospital da Universidade de Pernambuco (UPE).

“Meu marido, de 65 anos, tem cirrose e problema no esôfago. Espera há cinco meses para fazer uma endoscopia com ligadura elástica no Oswaldo Cruz e até agora não conseguiu”, contou a dona de casa Maria Erotildes Cavalcanti, moradora de Taquaritinga do Norte, no Agreste. “Ele veio em abril e a máquina estava quebrada. Voltou em junho e permanecia assim. Estamos renovando a consulta com o médico para atualizar a requisição, que já perdeu a validade”, relatou.

Maria Aparecida da Silva, que trouxe a irmã de 48 anos, de Petrolina (Sertão do São Francisco, extremo do Estado) com tumor maligno de face diagnosticado há três meses, ficou perplexa ao saber que teria de voltar em novembro para tentar marcar consulta para cirurgião de cabeça e pescoço. O problema já não era só o sistema de marcação, mas a alta demanda reprimida. “Ela veio ao Recife encaminhada pelo Hospital Dom Malan. No Hospital de Câncer fomos informadas que o atendimento nessa área está suspenso por falta de estrutura. Mandaram procurar o Oswaldo Cruz e não sei mais o que fazer”, relatou, desolada, Aparecida.

Na porta da sala de marcação de consultas, avisos já adiantam as dificuldades que os pacientes terão pela frente. Um deles diz que consultas de ortopedia de primeira vez só são marcadas para encaminhados do próprio Huoc, Procape e Cisam. Quem vier de outro serviço deve se dirigir aos hospitais Agamenon Magalhães, Getúlio Vargas, Oscar Coutinho e HR. Outro aviso informa que também não estão sendo marcadas primeiras consultas de cirurgia vascular.

Lauliluce Farias, assessora da diretoria do Huoc, explica que o hospital tem feito melhoria no setor de marcação. Alega que queda de energia na região onde está localizado o hospital pode ter afetado o sistema de informática. “Antes de se deslocar para o setor de marcação, o usuário deve ligar para (81) 3184-1200 e confirmar se o sistema voltou a funcionar (continuava parado até o fim da tarde de ontem)”, orientou. Ela lembrou também que cabe às prefeituras marcar por fax a consulta dos pacientes.

O Sindicato dos Servidores da UPE lembra, no entanto, que todos os três hospitais da UPE têm déficit de profissionais. No Huoc, além disso, há dois pavilhões fechados (70 leitos) para reforma e o esgoto escorre nas vias de entorno.

 


Comentários

Por luiz emidio da silva,18/06/2017

marcar consulta com urologista



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM