Jornal do Commercio
Saúde

Pernambuco pretende descentralizar atendimento de saúde para o público LGBT

Meta do Estado, até 2019, é criar uma rede de assistência para pessoas transexuais e travestis

Publicado em 29/06/2016, às 08h26

Pernambuco foi o primeiro Estado do Nordeste a implantar uma política de atenção à saúde integral LGBT. Na terça-feira (28), bandeiras com as cores do arco-íris foram fincadas na areia da Praia de Boa Viagem para lembrar o Dia Internacional do Orgulho LGB / Gustavo Belarmino/Portal NE10
Pernambuco foi o primeiro Estado do Nordeste a implantar uma política de atenção à saúde integral LGBT. Na terça-feira (28), bandeiras com as cores do arco-íris foram fincadas na areia da Praia de Boa Viagem para lembrar o Dia Internacional do Orgulho LGB
Gustavo Belarmino/Portal NE10
Da Editoria de Cidades

Com o compromisso de facilitar o acesso a serviços de saúde para transexuais e travestis em Pernambuco, como também derrubar o preconceito que perdura durante os atendimentos, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) lançou, ontem, no Dia Internacional do Orgulho LGBT, uma campanha para ampliar o acesso à testagem rápida de HIV para essa população. Além disso, foi anunciada a meta de, até 2019, criar uma rede de assistência para as pessoas transexuais no Estado. “Quem desejar atendimento ambulatorial não precisará necessariamente ir ao Hospital das Clínicas da UFPE (referência no atendimento a esse público). No serviço que queremos implementar, será possível se cuidar sem sair de Petrolina para vir ao Recife, por exemplo”, diz o coordenador de Saúde Integral da População LGBT da SES, Jair Brandão. A secretaria ainda planeja como será estruturada a descentralização desse atendimento. 

Para pactuar com os municípios ações voltadas para a população LGBT ao longo deste primeiro ano de implementação da política de atenção à saúde voltada a esse público, representantes da SES já percorreram cidades do interior, como Petrolina, Salgueiro e Serra Talhada, no Sertão e Caruaru, no Agreste. “Além disso, realizamos oficinas com servidores da secretaria para mostrar como deve ser o acolhimento nos serviços de saúde.” 

A ação lançada ontem vem de uma parceria com a organização não governamental (ONG) internacional Aids Healthcare Foundation (AHF) e conta com cartazes e vídeos que serão distribuídos nas unidades de saúde. “A campanha chega não só para a testagem de HIV, mas para marcar a luta por uma saúde integral para população LGBT”, ressalta Jair.

A iniciativa ainda tem o apoio de ONGs locais, como Gestos, Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco (Amotrans), Instituto Brasileiro de Transmasculinidade (Ibrat) e Nova Associação de Travestis, Transexuais e Transformistas de Pernambuco (Natrape). “Queremos reforçar que a proteção e a testagem devem ser feitas pelas pessoas sexualmente ativas, independentemente da orientação sexual ou da identidade de gênero”, salienta a diretora da AHF Brasil, Cristina Raposo.

A estudante de psicologia Fabianna Melo Oliveira, 37 anos, acredita que a campanha ajuda a derrubar o estigma que cerca a população trans. “Por muito tempo, a Saúde não olhou para os travestis e transexuais. A partir do momento em que temos visibilidade, a situação melhora porque podemos procurar o SUS e ver que os serviços estão dispostos a nos receber respeitando a nossa identidade”, diz Fabianna, que passou pela cirurgia de mudança de sexo há 12 anos, na Espanha.

Recomendados para você


Comentários

Por Jacqueline Mazzini,29/06/2016

É obrigação prestar atendimento a todos os cidadãos sem discriminação, somos seres iguais.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM