Jornal do Commercio
MICROCEFALIA

Unicef distribui kit para estimular bebê com síndrome do zika vírus

Entre os objetos, foram entregues tapetes sensoriais, raquetes coloridas, móbiles, colheres, lanternas e brinquedos

Publicado em 29/11/2016, às 21h21

Rosileide da Silva e o filho João Miguel aprovaram o kit entregue pelo Unicef. / Foto: Sérgio Bernardo/ JC Imagem
Rosileide da Silva e o filho João Miguel aprovaram o kit entregue pelo Unicef.
Foto: Sérgio Bernardo/ JC Imagem
Editoria de Cidades

Copos, bolas, chocalhos, lanternas, esponjas e pulseiras com guizos. Cores, sons e texturas que representam esperança para famílias de bebês com a síndrome congênita do zika vírus no Estado. Na tarde desta terça-feira (29), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) distribuiu 20 kits multissensoriais durante o lançamento do projeto Redes de Inclusão no Recife. O objetivo é estimular os sentidos de crianças com anomalias causadas pela arbovirose e garantir tratamento adequado também fora dos hospitais.

O projeto piloto é fruto da parceria entre Unicef, Ministério da Saúde, Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, organizações da sociedade civil e a iniciativa privada. Além do Recife, capital do Estado com o maior número de notificações do Brasil, o município de Campina Grande, na Paraíba, é beneficiado. Em Pernambuco, serão distribuídos 260 kits acompanhados de fôlderes explicativos com instruções de uso. 

“É um projeto bastante inovador, que ficará sob coordenação do município. Para as famílias significa muito, porque a proposta é intersetorial. É um olhar não só para a saúde, mas também para a educação e assistência social. Apesar da grandiosidade do projeto, que envolve as esferas federais, estaduais e municipais, o Redes de Inclusão está inserido no Sistema Único de Saúde (SUS) e tem retaguarda de política pública”, explica Cristina Albuquerque, coordenadora da Área de Sobrevivência e Desenvolvimento Infantil do Unicef no Brasil.

Cada sacola conta com 10 itens, entre tapetes de estimulação, rolos, raquetes coloridas, móbiles, colheres, lanternas e brinquedos, com um custo individual de, aproximadamente, R$ 100. Além das 20 unidades entregues ontem, outras 30 ficarão disponíveis nos serviços públicos de saúde. Os outros 210 kits serão distribuídos conforme fabricação. 

“A gente espera aprimorar e qualificar o projeto, oferecendo atendimento integral e humanizado às vítimas da síndrome”, afirmou Jailson Correia, secretário municipal de Saúde. Nesta quarta-feira (30), a Fundação Altino Ventura (FAV) oferece qualificação para profissionais da área da saúde. O intuito da ação é fazer com que eles consigam capacitar as famílias dos bebês para torná-las multiplicadoras das técnicas de estímulo em casa.

AUXÍLIO

"Este kit é bastante importante, porque vai nos ajudar a trabalhar com nossos filhos. Uma coisa é trabalhar falando com a criança, outra é mostrando. Nos hospitais, nos ensinam a fazer objetos de maneira artesanal, mas agora vamos ter acesso a outros produtos para estímulo sensorial”, comemorou Inabela Tavares, mãe de Graziella Vitória, de 1 ano, que teve zika aos seis meses de gravidez. 

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM