Jornal do Commercio
Referência

Governo da Bahia analisa área de transplante de órgãos do Imip

Em visita ao Imip, representantes da Bahia conhecem experiência do hospital em transplante de órgãos

Publicado em 13/07/2017, às 10h02

Pernambuco ocupa o 1º lugar no Norte/Nordeste no número de transplantes de coração, rim, rim/pâncreas e medula óssea / Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Pernambuco ocupa o 1º lugar no Norte/Nordeste no número de transplantes de coração, rim, rim/pâncreas e medula óssea
Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Da editoria Cidades

Em visita a Pernambuco nessa quarta-feira (12), representantes da Secretaria de Saúde da Bahia visitaram o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no bairro da Boa Vista, centro do Recife. A equipe queria conhecer a experiência do hospital na área de transplante de órgãos, principalmente o de coração. Segundo o boletim da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), o Estado ocupa o 1º lugar no Norte/Nordeste no número de transplantes de coração, rim, rim/pâncreas e medula óssea.



"A política transparente e bem sucedida do Imip em transplantes é uma referência em todo o país. Por isso, é importante estreitar os laços e levar a experiência daqui para a Bahia", destacou a médica Rita de Cássia Pedrosa, coordenadora estadual da Central de Transplantes da Bahia. Os integrantes foram recebidos pela superintendente geral do Imip, Tereza Campos, pelo diretor médico do hospital, Geraldo Furtado, e pelo coordenador de transplante do coração do Imip, Fernando Augusto Figueira. Participaram ainda do encontro a coordenadora da Central de Transplantes da secretaria Estadual de Pernambuco, Noemy Gomes, e equipe.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM