Jornal do Commercio
JC 360

Sem catarata e sem óculos - entenda o implante de lentes multifocais

Implante de lentes multifocais na cirurgia de catarata melhora qualidade de vida, devolvendo visão e autoestima até para os mais jovens

Publicado em 25/11/2017, às 06h00

Maria Solange descobriu a catarata quando começou a se planejar para fazer uma cirurgia refrativa / Ashlley Melo/JC360
Maria Solange descobriu a catarata quando começou a se planejar para fazer uma cirurgia refrativa
Ashlley Melo/JC360
JC Online

A catarata é uma das principais causas de deficiência visual no mundo. A doença é muito comum em pessoas idosas. Mas a representante de vendas Maria Solange Soares, por exemplo, disse que não esperava ter catarata agora, bem antes dos 60 anos. “O que você imagina? Que catarata é uma doença que a maioria das pessoas de uma terceira idade têm. Eu não imaginava que seria o momento que eu teria”, afirma.

O que Maria Solange pensa tem fundamento. Com o passar dos anos, a lente natural dos olhos, chamada de cristalino, vai ficando disfuncional até opacificar. Essa opacidade, seja ela na intensidade que for, é chamada de catarata. “Acredita-se que todo mundo terá. Basta envelhecer”, diz o médico oftalmologista e sócio do HVISÃO, Dr. Francisco Lobato. “A causa é o próprio envelhecimento da estrutura. Mas hoje não se espera tanto a visão ficar ruim para que nós venhamos a operar. A gente deve evitar esses processos de catarata onde a doença já está muito avançada”, detalhou o médico.

Há que se lembrar que quem tem uma catarata mais intensa pode se envolver em acidentes pessoais devido à baixa de visão. “Pode e deve-se operar a catarata quando se está no início, evitando a fase madura”, completa o médico. Dr. Lobato ainda alerta para a falsa impressão de que só idosos têm catarata. A doença pode ser congênita e, por isso, diagnosticada até mesmo em crianças. O uso prolongado de corticoide também pode desencadear um processo mais rápido de opacificação do cristalino.



Doutor Francisco Lobato destaca a alegria dos pacientes que voltam às suas atividades após o implante de lentes multifocais

Na cirurgia, a catarata é removida e substituída por uma nova lente intraocular. Essas lentes podem ser multifocais e corrigir, além da opacidade, problemas de visão como miopia, astigmatismo, hipermetropia e vista cansada (presbiopia). “A cirurgia de catarata também tem uma finalidade refrativa. Grande parte das lentes hoje são premium e vão corrigir grau para longe, intermediário e perto. A maioria desses pacientes não irá mais usar óculos, ou apenas eventualmente”, continua Dr. Lobato.

A solução encontrada atendeu ao desejo de Maria Solange: ela não queria mais usar óculos. “Meu objetivo quando eu procurei o oftalmologista era fazer uma cirurgia refrativa. Além de atender a minha necessidade do momento, a lente multifocal iria resolver precocemente meu diagnóstico de catarata”, explica. Hoje, ela não usa mais óculos nem para perto, nem para longe, além de não ter mais catarata. “Óculos é um charme? É. Mas se puder ficar sem, acho que é melhor. Você não imagina a felicidade de poder fazer uma maquiagem, usar espelho normal sem precisar de lente de aumento, fazer a sobrancelha. Realmente muda muito”, finaliza.

Dr. Lobato ressalta a satisfação do paciente com as lentes multifocais que vai muito além da melhora na visão. Envolve também autoestima e facilidades para a prática de esportes, lazer, segurança no trabalho, entre outros. “Já operei pessoas com 80 anos que dizem ‘doutor, eu deveria ter me operado antes!’ O tratamento muda a vida de muitos pacientes. Eles se sentem novamente muito jovens. Enxergar não é um simples ato físico, é psicológico, espiritual. Enxergar envolve uma dinâmica de vida”, conclui.


Recomendados para você


Comentários

Por José Simao Dos Santos,26/11/2017

Gostei da reportagem e gostaria que fosse publicadas muito mais, afim de deixar a população bem informada.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM