Jornal do Commercio
DESPEDIDA

Coreógrafa Trisha Brown morre aos 80 anos

Companhia da aclamada coreógrafa norte-americana confirmou a notícia nesta segunda-feira (20/3)

Publicado em 20/03/2017, às 15h19

A coreógrafa americana Trisha Brown em 2006 / JACQUES DEMARTHON/AFP/Arquivo
A coreógrafa americana Trisha Brown em 2006
JACQUES DEMARTHON/AFP/Arquivo
Com informações da AFP

A coreógrafa americana Trisha Brown, grande figura da dança contemporânea, morreu no último sábado (18/3), no Texas, aos 80 anos, anunciou nesta segunda-feira (20/3) a companhia que leva seu nome.

"Com imensa tristeza que anunciamos que a artista Trisha Brown, nascida em 1936, faleceu em 18 de março em San Antonio, Texas, ao final de uma longa doença", escreveu em um comunicado postado no Twitter a Trisha Brown Dance Company.

Sua companhia a descreve como "uma das coreógrafas mais aclamadas e influentes da sua época", cujo trabalho "vanguardista mudou para sempre a paisagem artística".

Nascida em Aberdeen, no estado de Washington, se formou na faculdade de dança Mills College em 1958 e chegou a Nova York em 1961. Aluna de Anna Halprin, participou em oficinas de coreografia de Robert Dunn, em um espírito de "criatividade interdisciplinar", marca da cidade de Nova York nos anos 1960.

Em 1970, fundou sua própria companhia, através da qual explorou, durante 40 anos, todas as vias da dança contemporânea, com ênfase na improvisação e na experimentação.

Uma das suas grandes conquistas foi introduzir a dança nos museus. Também pintava e desenhava, e expôs suas obras em várias ocasiões. Trisha Brown criou mais de 100 coreografias e seis óperas, antes de abandonar os palcos como dançarina em 2008.

Sua morte acontece meses depois da do seu marido, o videoartista Burt Barr, que faleceu em 7 de novembro. Ela deixa um filho e quatro netos.

RECIFE

A Trisha Brown Dance Companny (EUA) esteve no Recife em 2010, para participar do 15º Festival Internacional de Dança do Recife. No Teatro de Santa Isabel, foram apresentadas três coreografias (Foray fôret, You can see us e L'amour au théâtre). No Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (Mamam), os bailarinos apresentaram Early Works, uma série formada por obras curtas criadas entre 1961 e 1974.


Early Works (Trisha Brown, EUA)


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM