Jornal do Commercio
1 2 3 Testando

Entrevista: Conheça o 'serumaninho' Marco Luque

Ator que se apresenta em Pernambuco neste sábado (6), no Teatro Guararapes, bateu um papo com o JC

Publicado em 06/05/2017, às 05h00

Marco Luque apresenta seus personagens como Mustafary no palco do Teatro Guararapes. / Fotos: Gustavo Arrais/Divulgação
Marco Luque apresenta seus personagens como Mustafary no palco do Teatro Guararapes.
Fotos: Gustavo Arrais/Divulgação
Robson Gomes

O paulista Marcos Luque Martins, de 43 anos, conhecido no meio artístico como Marco Luque, está neste sábado (6) em Pernambuco. Ator e humorista, fez seu nome no extinto Custe o Que Custar (CQC), da Band e, recentemente, caiu nas graças do público interpretando o “serumaninho” Mustafary na internet. Junto com o personagem de boas vibrações, Marco apresenta outras figuras no palco do Teatro Guararapes no espetáculo 1, 2, 3 Testando. E antes das cortinas se abrirem, o artista conversou sobre sua vida e carreira com o Jornal do Commercio.

ENTREVISTA // MARCO LUQUE

JORNAL DO COMMERCIO – Marco, em que momento você percebeu que o humor era a sua vida?
MARCO LUQUE – Minha ligação com o humor vem desde muito pequeno. Eu o usava para divertir os meus colegas de turma e os professores, imitando alguém, fazendo graça de alguma situação. Isso me ajudou muito a me comunicar mais, interagir mais com as pessoas à minha volta. Eu sempre fui muito tímido, via e vejo no humor uma forma de mostrar um Marco que eu sempre quis ser.

JC – Quais são as suas maiores inspirações na comédia?
MARCO – Chico Anísio, Jô Soares e Tom Cavalcante.

JC – Você ficou conhecido do público ao comandar a bancada do CQC e foi um dos poucos que ficou do início ao fim do programa na Band. Como você avalia sua trajetória na atração?
MARCO – Uma trajetória de oito anos, de muito aprendizado, em que fiz grandes amigos e pude conviver com uma equipe muito bacana! Acho que o CQC teve uma grande importância na TV porque ele conseguiu mostrar de forma sutil temas políticos, que afetam o dia a dia do povo brasileiro. O programa deixou estes assuntos em maior foco, o que foi um diferencial.

JC – Você já fez stand-up comedy de cara limpa, mas neste espetáculo investe mais nos personagens. Qual desses tipos de humor exige mais de você e porquê?
MARCO – Acredito que independente de estar de cara limpa ou com algum personagem, a responsabilidade e exigência são grandes. Cada apresentação é única, com suas respectivas peculiaridades. Tenho que me dedicar 100% sempre.

JC – Dos personagens que você vai apresentar aqui no Recife, a expectativa grande é para o Mustafary. Você fica surpreso com a proporção que ele tomou, principalmente nas redes sociais?
MARCO – Sim, fico muito feliz com a repercussão que o Mustafary tomou. As pessoas gostam dos conselhos dele, do jeito engraçado que ele enxerga as situações. Criei este personagem há muitos anos e me inspirei em muitas pessoas, e acredito que, por isso, há uma empatia tão grande com o personagem.



JC – O público já tem uma prévia dos personagens de 1, 2, 3 Testando todos os sábados no Altas Horas (Globo). Você está feliz por ter conquistado esse espaço?
MARCO – Sim, muito! É uma experiência ímpar estar trabalhando com uma equipe tão maravilhosa e parceira. Me sinto em casa tamanha receptividade que tenho recebido lá. Além do fato do Serginho (Groisman) ser um amigo querido, que tenho muita admiração.

JC – Além do Altas Horas, você ainda integra o elenco da série Vai Que Cola (Multishow), que também tem um público muito grande e cativo. Foi fácil a sua adaptação ao programa?
MARCO – A interação com outros comediantes no palco é algo fora de série. Estou adorando, é uma grande experiência e ótima oportunidade como humorista.

JC – Do roteiro à estreia, em quanto tempo o 1, 2, 3 Testando ficou pronto?
MARCO – A ideia do projeto era para trabalhar textos novos, interagir com o público e usar bastante improvisação. Ficamos uma curta temporada em São Paulo e decidimos que poderíamos apresentar para o publico nacional. Acredito que isso tudo num período de 6 meses.

JC – O que deixa Marco Luque de mau humor?
MARCO – O que mais me deixa de mau humor é a falta de sensibilidade e preocupação das pessoas com as outras. Não vejo mais aquele respeito, aquele sentimento de empatia e solidariedade. Hoje isso é muito raro, infelizmente.

JC – Você já esteve no Recife fazendo shows várias vezes. Ainda há uma grande expectativa sua para este espetáculo em especial?
MARCO – Sim, pois vejo cada espetáculo como algo único e especial. Estou super ansioso e com uma grande felicidade em poder estar ao lado de vocês novamente. Espero que a gente se divirta bastante. Conto com a presença dessa população tão querida!


Serviços

Marco Luque em 1, 2, 3 Testando – Neste sábado (6), às 21h30, no Teatro Guararapes. Ingressos: Plateia – R$ 104 (inteira) e R$ 52 (meia); Balcão – R$ 84 (inteira) e R$ 42 (meia), à venda nas lojas Ticketfolia, site Eventim e na bilheteria do local. Assinantes JC tem 50% de desconto. Informações: (81) 3182-8020.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM