Jornal do Commercio
Contemporâneo

Espetáculo de dança 'Buraco' busca estimular imaginação infantil

Obra da Elisabete Finger (BRA/ALE) ganha sessões na Caixa Cultural

Publicado em 05/08/2017, às 16h03

Espetáculo busca novas formas de se conectar com o público infantil / Divulgação
Espetáculo busca novas formas de se conectar com o público infantil
Divulgação
JC Online

Quando se pensa obras artísticas para crianças, as imagens mais recorrentes são as de produtos coloridos, de fácil assimilação e, muitas vezes, decorrentes de fórmulas já consagradas. Portanto, pensar alternativas criativas de se comunicar com o público infantil é um desafio no qual um número crescente de artistas tem se lançado. É o caso da companhia Elisabete Finger (BRA/ALE), que apresenta o espetáculo Buraco, de 4 a 6 de agosto, na Caixa Cultural Recife.

Obra que encerra o projeto Pintando o 7, voltado para trabalhos de dança contemporânea que focam no público infantil, Buraco parte do pressuposto de que nada é intransponível. Por isso, na montagem, tudo fura e pode ser furável. A ideia é que, uma vez em que o indivíduo se propõe a olhar para o outro lado, buscar novas perspectivas, se surpreender se torna um processo natural.



ESTÍMULO

O público é estimulado a apreender novas possibilidades sensoriais e relacionais. O buraco, aqui, é entendido como um meio entre o dentro e o fora, entre diferentes corpos e materiais.

A concepção é de Elisabete Finger com auxílio dos performers e criadores Cinira Macedo, Jamil Cardoso e Sandro Amaral.


Serviços

Buraco, da Cia. Elisabete Finger – Dias 4 e 5, às 16h, e 6 de agosto, às 10h, na Caixa Cultural Recife (Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife). Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada). Informações: 3425-1900

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM