Jornal do Commercio
Outubro ou nada

Festival de teatro alternativo toma conta do Recife e de Olinda

Cansados de esperar iniciativas oficiais, atores e diretores ocupam espaços inusitados

Publicado em 29/09/2017, às 18h47

Solo de Guerra: estreia de Cleyton Cabral no festival de teatro alternativo / Ricardo Maciel / Divulgação
Solo de Guerra: estreia de Cleyton Cabral no festival de teatro alternativo
Ricardo Maciel / Divulgação
Bruno Albertim

Fechado há oito anos numa reforma sempre adiada, o Teatro do Parque, centenário, é apenas o símbolo mais visível da crise de estrutura nos palcos oficiais da cidade. Mas, se não há pautas ou salas de apresentação, eles arregaçam as mangas e fazem teatro onde for possível. “É mesmo um gesto de resistência, são esses os grupos os que sustentam de fato a vitalidade do teatro no Recife”, diz o apresentador e ator Alessandro Moura que, ao lado dos também atores Marconi Bispo, Cleyton Cabral e Rodrigo Cavalcanti, coordenam mais uma edição do Festival Outubro ou Nada. De residências a bares e espaços insólitos, a segunda edição da Mostra de Teatro Alternativo do Recife e de Olinda acontece de 2 a 14 de outubro.

Durante os 13 dias, a programação montada na base da guerrilha, sem qualquer patrocínio ou incentivo oficial, conta com mais de 30 apresentações e 27 espetáculos – o que também contempla experimentos cênicos, performances e leitura dramatizada. São nove os espaços alternativos por onde a programação se acomoda. “A Mostra de Teatro Alternativo do Recife Outubro ou Nada é um ato político, uma reação de uma classe teatral que se agrupou para exercer o seu empoderamento, diante das alternativas que são apresentadas pelo conjunto de todos esses artistas, companhias, coletivos e grupos reunidos em torno de uma mesma causa: dar vitalidade e visibilidade ao teatro contemporâneo na cidade. O título da mostra é plural e polissêmico, como são todos os espetáculos aqui reunidos, permitindo vários significados, múltiplas leituras possíveis. É luta e resistência, guerrilha cultural, amor pela arte”, diz Marconi Bispo.

Este ano, a mostra passa também a incluir a programação em Olinda. E traz também uma mostra pedagógica para exercício dos alunos de cursos livres de teatro do Recife, como a Escola de Teatro Fiandeiros, O Poste Soluções Luminosas e Cênicas Cia. de Repertório). Ainda na programação, o grupo Totem está programando uma performance inédita.

Justamente no espaço O Poste, uma das trincheiras mais férteis do teatro contemporâneo na cidade, acontece uma das estreias no festival. Ali, será visto o monólogo Solo de Guerra, com o ator e dramaturgo Cleyton Cabral. No solo, o ator vai contar a história de um homem em pé de guerra com o próprio passado. “O conflito se inicia quando insistem em nos padronizar, nos colocar na caixinha ‘normal’ para podermos ser aceitos”, diz Cleyton, também autor do texto.

Na abertura da mostra, o público poderá também conferir um documentário sobre Henrique Celibi, o homenageado do festival. Morto este ano em um acidente doméstico, o ator que começou sua trajetória no hoje mítico grupo Vivencial Diversiones tem sua vida contada no filme Henrique, o Que Faz Celibi, dirigido a seis mãos por Luís Bringel, Brunna Martins e Sandri Rodrigues. “Celibi tem uma representatividade enorme, uma referência para qualquer coletivo da cidade”, comenta Alessandro Moura.
Alguns espetáculos, como Morreu! Antes Ela do que Eu,de Álcio Lins, programado para o espaço O Poste, no Centro, terá intérprete de libras. Na programação, o público poderá também rever espetáculos já bem queridos no circuito alternativo. Um deles é o Hamlet Fragmentado, em que os atores Luciano Santiago, Daniel Gomes e Damyeres Barbosa usam o clássico de Hamlet para costurar teias de poder, corrupção e traições. A apresentação acontece na sexta, dia 6. O próprio Alessandro Moura apresenta, outra vez, seu bem recebido monólogo O Velho Diário da Insônia, em que um velho senhor interiorano passeia por suas memórias.

Programação

Espetáculos e rodas de diálogo

Dia 5 – ABERTURA RECIFE

19h - Espetáculo Haverá um maldito aqui dentro | Coletivo Loucura Roubada, no Espaço O Poste.

Dia 5 – ABERTURA OLINDA: Solar da Marquesa.

21h – Performance A chegada de Godot | Coletivo Caverna
21h30 – Risoflora – A história de uma Drag Queen | Emanuel Deyvid D’Lúcard (será cobrado ingresso para ter acesso a este espetáculo)
22h30 – Exibição do documentário Henrique, o que faz Celibi | Luis Bringel, Brunna Martins e Sandri Rodrigues
23h – Festa de lançamento da 2a Mostra Outubro ou Nada

Dia 6 (sexta)

19h – Descomeço | Coletivo Ocaso, no Com Domínio.Art (Estreia)
19h – Hamlet Fragmentado | Trupe Artemanha, no Galpão Citta
20h – Morreu! Antes Ela do que eu | Álcio Lins, no Espaço O Poste
(Terá intérprete de Libras)
19h – Senhora de Engenho – Entre a Cruz e a Torá | Cia. Popular de Teatro de Camaragibe, no Solar da Marquesa



Dia 7 (sábado)

10h – Territoré | Totem, no Parque 13 de Maio
17h – Alguém para fugir comigo | Resta 1 Coletivo de Teatro, na Casa Azul
18h – As Violetas de Aurora | Violetas da Aurora, no Com Domínio.Art
18h – (In)Cômodos | Coletivo 4 no Ato, no Espaço Fiandeiros
19h – Hamlet Fragmentado | Trupe Artemanha, no Galpão Citta
20h – A podridão que há em mim | Grupo São Gens de Teatro, no Espaço Cênicas
20h – Assombros | Vivaz Cia. De Artes, no Solar da Marquesa

Dia 8 (domingo)

16h – Domingo Alegre no Circo | Escola Pernambucana de Circo, na Escola Pernambucana de Circo
17h – Electra no Circo | Violetas da Aurora, na Casa Azul
17h – As lebres são maiores que os ursos | Coletivo Despudorado, no Espaço Fiandeiros (Estreia)
18h – A Partida | Claudia Soares, no Espaço O Poste
18h – Café | Cia. de Teatro Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang (DIG), no Espaço Cênicas
19h –Viva La vida | Multus coletivo, no Espaço São Salomão

Dia 9 (segunda)

MOSTRA PEDAGÓGICA
O casamento do pequeno burguês
Escola de Teatro Fiandeiros
ESPAÇO FIANDEIROS
20h

Dia 10 (terça)
MOSTRA PEDAGÓGICA
Seres
O Poste Soluções Luminosas
O POSTE
19h

Dia 11 (quarta)
MOSTRA PEDAGÓGICA
Pequenos Grandes Trabalhos
Cênicas Cia. de Repertório
ESPAÇO CÊNICAS
20h
19h – Caravana de Palhaços | Caravana de Palhaços, no Com Domínio.Art (Estreia)
20h – O Mascate, a Pé Rapada e os Forasteiros | AGM Produções, no
Solar da Marquesa
20h – Flúvio e o Mar | Vivaz Cia. De Artes, no Espaço O Poste (Leitura
Dramatizada)

Dia 12 (quinta)
20h – Triz | Nínive Caldas, Lili Rocha e Eric Valença, no Espaço O
Poste (Experimento Cênico)

Dia 13 (sexta)
19h – Hamlet Fragmentado | Trupe Artemanha, no Galpão Citta
20h – O romance dos dois soldados de Herodes | Casa de Dioniso, no
Espaço O Poste
20h – Assombros | Vivaz Cia. De Artes, no Solar da Marquesa

Dia 14 (sábado)
19h – Hamlet Fragmentado | Trupe Artemanha, no Galpão Citta
20h – Solo de Guerra | Cleyton Cabral, no Espaço O Poste (Estreia)
20h – O velho diário da insônia | Grupo Independente de Teatro
Alternatico (GITA), no Solar da Marquesa
20h – Que muito amou | Cênicas Cia. de Repertório, no Espaço Cênicas
21h – O que acontece Eric Valença e tati Azevedo, no Com Domínio.Art
(Experimento Cênico)
FESTA DE ENCERRAMENTO:
Às 22h, no Com Domínio.Art
AÇÕES FORMATIVAS
Oficina
“Pedagogia do Espectador: conhecendo o Teatro Alternativo”
De 02 a 05/10, das 9h às 12h
Mediadores: Ana Nogueira, Analice Croccia e Ellis Regina
(12h teórico-práticas + 8h assistindo aos espetáculos da programação
da Mostra “Outubro ou Nada”
Informações: oficinasoutubroounada@gmail.com

RODA DE DIÁLOGO

Conhecendo a proposta pedagógica de três escolas de teatro
pernambucanas: Fiandeiros, cênicas e O Poste.
Após os espetáculos das respectivas escolas, haverá diálogo sobre suas
propostas pedagógicas.

ESPAÇOS e ENDEREÇOS

Casa Azul – Rua 13 de maio, 121, Carmo, Olinda.
Com Domínio.Art – Rua do Sol, 82, Carmo, Olinda.
Solar da Marquesa – Rua Joaquim Nabuco, 5, Varadouro, Olinda.
Espaço O Poste – Rua da Aurora, 529, Boa Vista.
Galpão CITTA/Centro de Investigação Teatral Trupe Artemanha – Rua João Francisco Lisboa, 37, Várzea, Recife-PE.
Espaço Fiandeiros – Rua da Matriz, 46, Boa Vista.
Pátio Criativo – Rua das Águas Verdes, Casarão 52, Pátio de São Pedro – Santo Antônio.
Espaço Cênicas –- Av. Marquês de Olinda, 199, Bairro do Recife (Entrada pela rua Vigário Tenório).
Centro de Capoeira São Salomão – Rua Dr. Corrêa da Silva, 267 - Várzea, Recife - PE.
Escola Pernambucana de Circo (EPC) – Avenida José Américo de Almeida, 5, Macaxeira

INGRESSOS

Os ingressos variam desde entrada franca até R$ 40,00 (inteira).
Acompanhe a programação: www.facebook.com/mostraoutubroounada


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Prêmio ISS Recife Prêmio ISS Recife
Principal item da receita própria dos municípios, o Imposto Sobre Serviços (ISS) entra no cofre das prefeituras tanto para custear despesas quanto para viabilizar investimentos nas cidades.
#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM