Jornal do Commercio
Internacional

Bia Doria vai expor obras em basílica papal em Roma

Esposa de João Dória usa madeira como matéria-prima de seu trabalho

Publicado em 15/05/2017, às 11h48

Artista plástica e primeira-dama de São Paulo, Bia Doria vai expor em Roma / Divulgação
Artista plástica e primeira-dama de São Paulo, Bia Doria vai expor em Roma
Divulgação
JC Online

A artista plástica Bia Doria está de malas prontas para Roma, na Itália. A primeira-dama de São Paulo apresenta a partir desta segunda-feira (15) suas esculturas na Basílica Papal de São Paulo Fora da Muralha, um dos sete templos cristãos de peregrinação da capital italiana.

Conhecida pela célebre entrevista na qual disse se sentir "do povo", a primeira-dama da cidade de São Paulo pretende internacionalizar o alcance de sua obra. Com curadoria de Livia Bucci, da Galeria Spazio Surreale, a mostra com trabalhos de Bia Doria ficará em exposição até dia 15 de julho.



O local escolhido para a exposição é nobre. A Basílica Papal de São Paulo Fora da Muralha (Basilica Papale di San Paolo Fuori le Mura) é uma das quatro basílicas papais de Roma juntamente com a Basílica de São Pedro, a Basílica de São João de Latrão e a Basílica de Santa Maria Maior, além de ser um dos sete templos cristãos de peregrinação da capital italiana. A Basílica Papal de São Paulo foi consagrada em 324 durante o governo do imperador Constantino (306-332). Em 395 foi ampliada, ganhou arquitetura bizantina e passou a contar com cinco naves.

CARACTERÍSTICAS

Bia Doria tem na natureza a matéria-prima e o motivo de seu trabalho. A artista costuma pesquisar materiais em diferentes regiões do Brasil em busca de resíduos de floresta de manejo, árvores nativas resgatadas de queimadas, desmatamentos, fundo de rios e barragens.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM