Jornal do Commercio
INTERATIVIDADE

29Rooms: Uma exposição criada para as redes sociais

Visitantes da mostra são encorajados a se envolver com as instalações

Publicado em 12/09/2017, às 16h01

Mulher posa em uma galeria abstrata da exposição 29Rooms / THOMAS URBAIN/AFP
Mulher posa em uma galeria abstrata da exposição 29Rooms
THOMAS URBAIN/AFP
AFP

Os visitantes tocam a arte, a vestem e até mesmo pulam nela na popular exposição imersiva 29Rooms que está sendo realizada em um armazém do Brooklyn, em Nova York.

Artistas, empresas e organizações sem fins lucrativos se uniram para o evento interativo de quatro dias hospedado pelo site Refinery29, encerrado nesta segunda-feira (11/9).

"Em contraste com os museus tradicionais, os visitantes do 29Rooms são encorajados a se envolver fisicamente com as instalações", disse a diretora criativa e cofundadora Piera Gelardi.

O evento, explicou, pega "a diversão e a interatividade de uma casa de diversões" e as combina com "a relevância cultural de um museu", com os 29 espaços relacionados aos tópicos cobertos pelo site. Posts no Instagram e selfies são encorajados.

"Sabemos que as pessoas estão desejando experiências na vida real, mas que elas também querem alimentar suas vidas digitais", disse Gelardi.

"A arte pode ser muito intimidadora e queríamos criar uma experiência de arte diferente que fosse muito interativa", acrescentou.

O site "começou focado em estilo, mas nós crescemos e passamos a cobrir tudo desde estilo e beleza até política e imagem corporal", afirmou.



Todos os 20.000 ingressos, que custam US$ 19 cada, foram vendidos rapidamente antes da abertura do evento, na sexta-feira.

 

Jake Gyllenhaal

As exposições incluem uma criação do ator Jake Gyllenhaal, que convida os visitantes a escreverem uma preocupação pessoal em um pedaço de papel antes de destruí-lo com um triturador manual.

Em outro quarto, criado pela artista americana Alexa Meade, os visitantes podem usar roupas e acessórios pintados, misturando-se perfeitamente com uma parede também pintada por ela enquanto posam para fotos.

Há também salas que promovem mensagens sociais, uma delas em colaboração com a organização de planejamento familiar Planned Parenthood, que convida os visitantes a ouvirem as histórias de pessoas que foram ajudadas.

"Queremos criar uma experiência que seja divertida e alegre, mas que também seja provocadora e que aproveite o que está acontecendo na cultura agora", resumiu Gelard.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM