Jornal do Commercio
Polêmica

Exposição suspensa no RS pode reabrir em Belo Horizonte

'Vejo com bons olhos, até por ter tradição de lutar contra qualquer tipo de censura e restrição', afirmou Juca Ferreira, secretário de Cultura de BH e ex-ministro do Governo Dilma

Publicado em 12/09/2017, às 19h40

Exposição Queer Museu no Santander Cultural em Porto Alegre (RS)  / (Foto: Reprodução/Facebook)
Exposição Queer Museu no Santander Cultural em Porto Alegre (RS)
(Foto: Reprodução/Facebook)
Estadão conteúdo

A exposição Queermuseu - Cartografias da diferença na arte brasileira, que causou polêmica após ter sido cancelada em Porto Alegre (RS) no último domingo, 10, por conta de protestos, pode reabrir em Belo Horizonte. O secretário de Cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira, confirmou que foi procurado na manhã desta terça-feira, 12, por um gestor cultural da capital gaúcha próximo ao curador do evento, Gaudêncio Fidelis.

Na conversa, a possibilidade de BH receber a exposição foi levantada. "Vejo com bons olhos, até por ter tradição de lutar contra qualquer tipo de censura e restrição, mas a conversa não avançou", afirmou Ferreira, que foi ministro da Cultura entre 2008 e 2010. Cauteloso, diz ser necessário analisar os custos e a viabilidade de organizar o evento.

A exposição tinha 270 trabalhos de 85 artistas que abordavam a temática LGBT, questões de gênero e de diversidade. Entre os artistas presentes, havia nomes como Alfredo Volpi, Cândido Portinari e Ligia Clark. A mostra foi viabilizada pela captação de R$ 800 mil por meio da Lei Rouanet.



Em nota, o Santander afirmou que cancelou a exposição porque entendeu que algumas obras "desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas". "Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana".

Crítica

Em publicação no Facebook na última segunda, Juca Ferreira escreveu que a interdição de obras de artes e outras formas de expressão baseados na opinião de "grupos moralistas" é inadmissível. Ele argumenta que é preciso repudiar a "escalada reacionária que ameaça a democracia e os direitos humanos".

Segundo o secretário, há uma tentativa de "calar os artistas e amordaçar a arte, pois sabem que é por meio da cultura que as sociedades se defendem contra os ataques externos e contra as tentativas de romper sua soberania".


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM