Jornal do Commercio
CINEMA

Robert De Niro e Sylvester Stallone se enfrentam em Ajuste de contas

Filme faz homenagem a personagens dos dois atores

Publicado em 10/01/2014, às 06h01

Robert De Niro e Sylvester Stallone / Warner Bros/Divulgação

Robert De Niro e Sylvester Stallone

Warner Bros/Divulgação

Ernesto Barros

Não teve cinéfilo que não pensasse a mesma coisa: Robert de Niro e Sylvester Stallone juntos, no mesmo filme, só poderia resultar no encontro do século. Afinal, quem imaginaria um embate entre Jake LaMotta e Rocky Balboa, os dois maiores boxeadores da história do cinema? Tudo mundo sabe que, de verdade mesmo, só existiu o Touro do Bronx, porque o Garanhão Italiano é um personagem criado por Stallone. Mas, no imaginário cinematográfico, eles vivem no mesmo mundo.



É mais ou menos a partir dessa ideia que funciona Ajuste de contas (Grudge match, 2013), de Peter Segal, que estreia nesta sexta-feira (10/01) nos cinemas do Recife. Trata-se do segundo filme em que Robert de Niro, 70 anos, e Sylvester Stallone, 67 anos, trabalham juntos. O primeira vez foi em 1997, no policial Copland, de James Mangold. Mesmo assim, ao voltar a personagens tão icônicos, esse encontro já é um evento, apesar de que eles sejam meras sombras do que já foram em seus dias de glória. Dois dos maiores ícones do cinema americano dos últimos 40 anos, eles interpretam uma dupla de velhos boxeadores rivais no ringue e na vida. Kim Basinger aparece, lá pelo meio do filme, como o motivo da rixa entre eles.

O reencontro se torna realidade quando o filho de um ex-produtor de lutas, Dante Slate (Kevin Hart, muito engraçado) convida Billy The Kid McDonnen (De Niro) e Henry Razor Sharp (Stallone) para um combate que deveria ter acontecido há 30 anos, quando Razor desistiu de uma revanche contra The Kid.

É verdade que o roteiro de Tim Kelleher e Rodney Rothman só tem sentido por causa dos dois personagens consagrados por De Niro e Stallone. Eles constroem versões da terceira idade do que se supõe como seria a velhice de Jake LaMotta e Rocky Balboa. Mas isso é feito em tom de farsa, com pouca ou quase nenhuma nota dramática.

De Niro traz para seu The Kid a mesma verve petulante de Jake LaMotta. Ele é dono de um revenda de automóveis, tem um bar onde atua como stand-up comic e não é nenhuma flor que se cheire. Stallone, por seu lado, faz de Razor uma continuidade de Rocky Balboa. Ainda é operário, vive modestamente e não esconde as marcas do passado. Até as dificuldades expressivas, sempre associadas a Stallone, são motivos de brincadeira para seu personagem.

Até o encontro deles no ringue, The Kid e Razoar se metem em algumas encrencas. O mais engraçado é a tiração de onda com o lutador de MMA Chael Sonnen. Apesar de quase septuagenários, De Niro e Stallone estão em ótima forma. As lutas, inclusive, são bem coreografadas e resultam na melhor parte do filme.

O diretor Peter Segal, do ótimo Como se fosse a primeira vez (50 first dates, 2004), esforça-se para manter o pique farsesco durante todo o filme. E consegue. Para os fãs de De Niro e Stallone, a diversão é garantida.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM