Jornal do Commercio
Diversidade

Power Rangers: ranger amarela será LGBTT no novo filme da franquia

Segundo diretor, a ideia é mostrar para os jovens que eles devem se amar como são

Publicado em 20/03/2017, às 12h29

Trini, interpretada por Becky G, será LGBTT / Reprodução
Trini, interpretada por Becky G, será LGBTT
Reprodução
JC Online

A busca por diversidade é uma preocupação cada vez mais forte dos grandes estúdios de Hollywood, principalmente diante das transformações que a sociedade tem vivido. Se recentemente A Bela e a Fera ousou ao colocar o personagem Le Fou como abertamente gay, agora é a franquia Power Rangers quem vai dar mais um passo na inclusão de personagens LGBTT em sua franquia. Foi anunciado que a Ranger Amarela, Trini (interpretada pela cantora Becky G), será queer.

De acordo com o The Hollywood Reporter, o diretor do filme, Dean Israelite, afirmou que haverá uma cena na qual ela se questionará sobre problemas com o namorado. Porém, Trini se dá conta de que faz referência a uma garota e não a um garoto, momento que o cineasta considera fundamental para todo o longa. Com isso, Trini se tornará uma das primeiras heroínas abertamente LGBTT no cinema. Não foi esclarecido se ela será lésbica ou bissexual.

“Para Trini, ela está se questionando sobre quem é. Ela ainda não entendeu muito bem o que está acontecendo, é o que eu acho ótimo nessa cena e no que ela vai propiciar para o restante do filme é: ‘Está tudo bem’. O filme está dizendo: ‘tudo bem’ para todas as crianças que estão tentando entender quem são e querem encontrar sua tribo”

ESTREIA

O novo filme dos Power Rangers tem estreia marcada para quinta-feira (23), no Brasil. O longa mostra o início da jornada dos super-heróis, que precisam enfrentar um grande mal para salvar a Terra.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM