Jornal do Commercio
STAR WARS

Roteiro inicial de Rogue One teria final diferente para protagonistas

"Não exploramos por medo da Disney", afirmou o roteirista Gary Whitta

Publicado em 20/03/2017, às 15h01

Versão Blue-Ray de 'Rogue One' será lançada em abril nos EUA / Foto: Lucasfilm/Divulgação
Versão Blue-Ray de 'Rogue One' será lançada em abril nos EUA
Foto: Lucasfilm/Divulgação
Da Estadão Conteúdo

Atenção: o texto contém "spoilers' sobre o final do filme Rogue One - Uma História Star Wars.

O primeiro filme spin-off da série Star Wars, Rogue One terá a sua versão em Blu-Ray liberada em abril nos EUA e, com o lançamento, surgem novidades do longa não reveladas na época em que esteve nos cinemas.

De acordo com o roteirista Gary Whitta, em entrevista à Entertainment Weekly, numa primeira versão do roteiro, alguns dos protagonistas teriam chance de sobreviver, apesar de este nunca ter sido o plano dos escritores. "O instinto original é que todos deveriam morrer, (…) é o que sempre quisemos", conta. "Mas não exploramos porque tivemos medo que a Disney não nos deixasse seguir em frente, que a Disney pudesse achar muito sombrio para um filme Star Wars."

Alguns dos personagens que sobreviveriam seriam Jyn (Felicity Jones) e Cassian (Diego Luna), mas os roteiristas não desistiram sacrificar todos os rebeldes e insistiram na ideia. "Nós dissemos a eles que sentíamos que eles deveriam morrer e Kathleen Kennedy (presidente da Lucasfilm) acenou para seguirmos em frente. Conseguimos o final que queríamos."

Para Whitta, o sacrifício dos rebeldes em morrer para impedir a ação da terrível Estrela da Morte é completamente compreensível. "Vale a pena. Se você vai dar sua vida por algo, que você dê para isso, para destruir uma arma que vai te matar de qualquer forma."

DETALHES

A título de curiosidade, porém, o roteirista revelou como os rebeldes sobreviveriam na primeira versão do filme, que passou longe de chegar a ser filmada. "Uma nave rebelde os resgataria da superfície. A transferência dos planos aconteceria depois. Eles cairiam fora e depois uma nave da Princesa Leia sairia de Alderaan para ajudá-los."


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM