Jornal do Commercio
Fora do armário

Luke Evans afirma que ser gay não prejudicou sua carreira em Hollywood

Ator, que interpretou Gaston em A Bela e A Fera, se assumiu aos 15 anos

Publicado em 18/04/2017, às 21h15

Luke Evans como Gaston, antagonista de A Bela e A Fera / Reprodução
Luke Evans como Gaston, antagonista de A Bela e A Fera
Reprodução
JC Online

A indústria cinematográfica, por décadas, foi acusada de obrigar os atores a manterem-se no armário. Um dos motivos seria a justificativa de que o público rejeitaria, por exemplo, um galã de filme romântico ou herói de ação gay. Os tempos, no entanto, estão mudando. Ao menos é o que acredita o ator Luke Evans, que não esconde sua homossexualidade e afirma que nunca foi prejudicado por isso.

Em entrevista à revista The Jackmal, o ator britânico disse que assumir ser gay não interferiu na oferta de personagens feitas a ele. "Eu não estaria neste negócio se sentisse que não estava sendo empregado por conta de quem sou na vida pessoal", afirmou. "Talento, sucesso, o que você faz na sua vida pessoal - eu não vejo como uma coisa possa ter um efeito sobre a outra", concluiu.



Apesar de estar confortável com sua sexualidade, ele, que é assumido desde os 15 anos, afirma que não gosta de comentar sobre o assunto. "Como ator, você deve manter algum tipo de mistério ou enigma. Há uma dignidade em manter as coisas privadas", reforçou ele, que já namorou o famoso modelo Jon Kortajarena.

PROTAGONISTA DE AÇÃO GAY

Galã em filmes como A Bela e A Fera, Velozes e Furiosos 6,7 e 8 e O Hobbit, ele não sabe, no entanto, se Hollywood estaria preparada para um protagonista de ação abertamente gay. "É difícil de responder", enfatizou.

Atualmente, Luke Evans filma a série The Alienist, baseada no livro de Caleb Carr.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM