Jornal do Commercio
Festival

O Jardim das Aflições é grande vencedor do Cine PE

Documentário sobre o pensamento de Olavo de Carvalho foi premiado como Melhor Filme

Publicado em 03/07/2017, às 23h50

Guru da nova direita, Olavo de Carvalho é tema do filme vencedor da 21ª edição do Cine PE / Foto: Divulgação
Guru da nova direita, Olavo de Carvalho é tema do filme vencedor da 21ª edição do Cine PE
Foto: Divulgação
JC Online

Destratado por muitos, celebrado pelos entusiastas da chamada nova direita, o polêmico O Jardim das Aflições, do diretor pernambucano Josias Teófilo, foi o grande vencedor da 21ª edição do Cine PE. O documentário sobre o pensamento do filósofo Olavo de Carvalho não ganhou a maior quantidade de troféus, mas os principais prêmios: Melhor Longa-Metragem, escolhido pelo júri oficial do festival, e também o de melhor filme pelo júri popular, através de uma votação on-line.

O filme conta a rotina pacata do intelectual paulistano, que atualmente reside com a família na cidade de Colonial Heights, na Virgínia (EUA), numa discussão a partir do livro homônimo publicado em 1995. O Jardim das Aflições também ganhou o Calunga de melhor montagem. Durante a esvaziada cerimônia de premiação realizada na noite desta segunda (3), nem o diretor Josias Teófilo esteve presente. Teve que viajar.

Após a exibição, fora da mostra oficial competitiva, do (ótimo) documentário Atum, Spaghetti e Farofa, do diretor ítalo-pernambucano Ricardo Rossi sobre uma viagem entre a Europa e o Japão dos chefs André Saburó, Joca Pontes e Duca Lapenda, o cinema São Luiz ficou esvaziado para a cerimônia de encerramento. Havia pouco mais de cem pessoas na sala.

Poucos foram os que estavam presentes para receber os prêmios. A ficção Diamante, o Bailarina, de Pedro Jorge, de São Paulo, ganhou o prêmio de Melhor Curta Nacional. O curta Luiza, do paraense Caio Baú, recebeu Menção Honrosa. O júri reconheceu a delicadeza na abordagem da sexualidade de uma jovem deficiente. Na competição de curtas pernambucanos, o vencedor foi Los Tomates de Carmelo, de Danilo Baracho. Também na lista dedicada aos filmes pernambucanos, o prêmio de Melhor Atriz ficou com Brenda Lígia, pelo curta Aqui Jaz.

Na premiação de longas-metragens nacionais, um dos que juntaram mais troféus Calunga foi O Crime da Gávea, do Rio de Janeiro: Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Atriz Coadjuvante (Aline Fanju) e Melhor Atriz, para Simone Spoladore.



O júri oficial do Cine PE foi formado por Emanoel Freitas (ator, diretor artístico, gestor e produtor de eventos), Indaiá Freire (jornalista, produtora cultural, mestra em literatura e cinema), Tony Tramell (jornalista, ativista cultural e assistente de direção), Caio Julio Cesano (Secretário Municipal de Cultura de Londrina, doutor em multimeios, mestre em Comunicação e Mercado), Naura Schneider (atriz, produtora e jornalista) e Vladimir Carvalho (documentarista, cineasta e escritor). Homenageados desta edição, os atores Kassia Kiss e Rodrigo Santoro, envolvidos com gravações, também não puderam comparecer.

A LISTA DOS VENCEDORES

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS
Melhor Filme – “Los Tomates de Carmelo” (PE), Danilo Baracho
Melhor Direção - Danilo Baracho, “Los Tomates de Carmelo” (PE)
Melhor Roteiro – Marcelo Cavalcante, “Marina e o pássaro perdido” (PE)
Melhor Fotografia - Danilo Baracho, “Los Tomates de Carmelo” (PE)
Melhor Montagem – Marcus Paiva, “Soberanos da Resistência” (PE)
Melhor Edição de Som – Sérgio Kyrilos, “Marina e o pássaro perdido” (PE)
Melhor Trilha Sonora – Carlos Ferrera, “Soberanos da Resistência” (PE)
Melhor Direção de Arte – Felipe Soares, “Autofagia” (PE)
Melhor Ator - Emanuel David D`Lúcard, “Autofagia” (PE)
Melhor Atriz – Brenda Lígia, “Aqui Jaz” (PE)


JURI POPULAR - “Autofagia” (PE), Felipe Soares

PREMIO DA CRÍTICA – “Entre andares” (PE), Aline van der Linden e Marina Moura Maciel

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

Melhor Filme – “Diamante, o Bailarina” (SP), Pedro Jorge
Melhor Direção - Day Rodrigues e Lucas Ogasawara, “Mulheres Negras: projetos de mundo” (SP)
Melhor Roteiro - Olimpio Costa e Mauricio Nunes, “O Ex-Mágico” (PE)
Melhor Fotografia – Pedro Maffei, “Retratos da Alma” (DF)
Melhor Montagem – Márcio Miranda Perez, “Quando os dias eram eternos” (SP)
Melhor Edição de Som – Jefferson Mandú, “O Ex-Mágico” (PE)
Melhor Trilha Sonora – Claudio Nascimento, “O Ex-Mágico” (PE)
Melhor Direção de Arte - Daniela Aldrovandi, “Diamante, o Bailarina” (SP)
Melhor Ator - Eucir de Souza, “Sal” (SP)
Melhor Atriz - Helena Albergaria, “O Tronco” (SP)

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI – “Luiza” (PR), Caio Baú

JURI POPULAR - “Mulheres Negras: projetos de mundo” (SP), Day Rodrigues e Lucas Ogasawara


PREMIO DA CRÍTICA – “O Ex-Mágico” (PE), Olimpio Costa e Mauricio Nunes

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS


“Diamante, o Bailarina” (SP), Pedro Jorge

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Filme – “O Jardim das Aflições” (PE), Josias Teófilo
Melhor Direção – Edu Felistoque, “Toro” (SP)
Melhor Roteiro - Edu Felistoque, Julio Meloni, “Toro” (SP)
Melhor Fotografia - Alex Lopes, João Atala, Raul Salas, Natalia Sahlit, Inti Briones, “O Crime da Gávea” (RJ)
Melhor Montagem - Matheus Bazzo e Daniel Aragão, “O Jardim das Aflições” (PE)
Melhor edição de som - Guilherme Picolo, Lucas Costabile, “Toro” (SP)
Melhor Trilha Sonora - Nancys Rubias , She Devils , Kumbia Queers, “Los Leones” (MG)
Melhor Direção de Arte – Lúcia Quental, “O Crime da Gávea” (RJ)
Melhor Ator Coadjuvante – Rodrigo Lampi, “Toro” (SP)
Melhor Atriz Coadjuvante - Aline Fanju, “O Crime da Gávea” (RJ)
Melhor Ator – Mário Bortolotto, “Borrasca” (SP)
Melhor Atriz – Simone Spoladore, “O Crime da Gávea” (RJ)

JÚRI POPULAR – “O Jardim das Aflições” (PE), Josias Teófilo

PREMIO DA CRÍTICA - “Los Leones” (MG), André Lage

 


Recomendados para você


Comentários

Por Seu Lula,05/07/2017

Porque o meu filme intitulado MULA O FILHO DO BARASIL. nao ganhou nenhum premio, só porque eu sou um ANALFA e MENTIROSO contumaz. buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Por Magno,04/07/2017

A mediocridade do vencedor está a altura do decadente Cine PE.

Por Rodrigues,04/07/2017

Chamar o Olavo de "guru da nova direita" é passar recibo que não fez o mínimo de pesquisa sobre o autor. Uma dica: faz teu trabalho direito.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM