Jornal do Commercio
Jornalista demitido

Jornalista é demitido após entrevista com Danilo Gentili

O jornalista Diego Bargas da Folha de São Paulo foi demitido nesse sábado (14) após entrevistar Danilo Gentilli sobre seu novo filme, "Como se Tornar Pior Aluno da Escola", que estreou nessa quinta-feira (12).

Publicado em 15/10/2017, às 09h12

Durante a entrevista, que durou cerca de oito minutos, entre outras coisas, o jornalista questionou os produtores sobre a presença de um personagem maníaco e pedófilo no filme. / Foto: Reprodução / Facebook
Durante a entrevista, que durou cerca de oito minutos, entre outras coisas, o jornalista questionou os produtores sobre a presença de um personagem maníaco e pedófilo no filme.
Foto: Reprodução / Facebook
JC Online

O jornalista Diego Bargas da Folha de São Paulo foi demitido nesse sábado (14) após entrevistar Danilo Gentilli sobre seu novo filme, "Como se Tornar o Pior Aluno da Escola", que estreou nessa quinta-feira (12).

Diego entrevistou o diretor Fabrício Bittar e o roteirista, produtor e ator Danilo Gentili durante uma coletiva de imprensa sobre o novo filme. Durante a entrevista, que durou cerca de oito minutos, entre outras coisas, o jornalista questionou os produtores sobre a presença de um personagem psicopata e pedófilo no filme.

"Você acham que tudo tem graça? Um psicopata pode ser engraçado?" questiona o jornalista, ao que rebate o diretor Fabrício Bittar, "Há muitos filmes com psicopatas que podem ser engraçados. Eu não tenha dúvida de que absolutamente tudo pode virar humor". O jornalista também questiona: "Vocês acham que o filme está apto para ser visto por uma criança de mais de 14 anos?". O diretor do filme responde que sim.

Em certo momento, Danilo ironiza, "A melhor forma de fazer o próximo filme é pegando seu telefone pra você prestar uma consultoria sobre o que você permite ou não que a gente faça, se soa ou não ofensivo".

Acusações

Em suas redes sociais, Danilo criticou a postura do jornalista e o acusou de desonestidade. Logo após a publicação da matéria escrita pelo jornalista, que tem por título "Criada por Danilo Gentili, comédia juvenil ri de bullying e pedofilia", Diego Bargas foi demitido.

O jornalista Diego Bargas anunciou a demissão em suas redes sociais e afirmou que foram usadas contra ele frases em que apoiava políticos petistas. 

Confira o post do Danilo Gentili na íntegra

A Folha de SP publicou hoje uma matéria com a manchete “DANILO SE NEGA A FALAR SOBRE PIADA COM PEDOFILIA”. Eu gravei essa entrevista. Posto agora na íntegra. O jornalista da Folha foi honesto? Assista e tire suas próprias conclusões. De todo modo faço questão de apontar algumas coisinhas:



1) Esse cara do vídeo abaixo se chama Diego Bargas, e como pode ver nas imagens que postei aqui nos coments, ele se comporta mais como militante político do que como jornalista isento. Sendo assim, que credibilidade teria um torcedor do PT entrevistando eu, um artista que está literalmente na lista negra do PT?

2) Que tipo de jornalista cultural vai conversar sobre um filme de ficção/comédia e não faz uma pergunta sequer sobre direção, roteiro, fotografia, atuação e outros aspectos artísticos e cinematográficos?

3) Porque o mesmo cara que estava uma semana atrás defendendo a liberdade para todos artistas e que pedofilia é uma coisa e arte é outra, agora teve um surto moral e se mostra inconformado com uma obra artística de ficção, roteirizada, onde nada daquilo aconteceu na vida real? Chego até mesmo a pensar que na verdade ele estaria escandalizado porque retratamos o pedófilo como um vilão, sem relativizar a pedofilia. Seriam os pedófilos uma nova minoria a ser protegida das piadas?

4) Ao perguntar em tom de desaprovação se “pode fazer piada com pedófilo e psicopata” o cara que recebe um salário como “especialista de cinema” (uii) demonstra desconhecer momentos clássicos da sétima arte como o hilário piloto de “Apertem os cintos o piloto sumiu” ou o mais recente “Quero matar meu chefe”. Isso pra ser breve e ir parando por aqui. Os exemplos são incontáveis. Todo mundo conhece, menos o burrão aí. Aliás dá uma olhadinha nas imagens que postei aqui nos coments. O cara que reprova psicopatas na ficção parece admirá-los bastante na vida real.

5) Infelizmente a melhor parte desse encontro não foi filmada. Após cortarem a entrevista, ele se levantou dando suas bufadinhas e disse “Eu quero dizer que não gosto do filme”. Eu respondi: “E eu quero dizer que não me importo nem um pouco com a sua opinião”. AUHAHUAHUAHUAHUHA! Ele vai entrar aqui, ler isso e ficar irritadinho porque escrevi. E essa é a melhor parte de ter feito esse texto. HAAHAHHAH.

6) Se você assistir o que foi respondido e ler a matéria que ele publicou verá que eu tinha razão. Esse cara já tinha a matéria pronta, ignorando o óbvio, que o Fabrício tão pacientemente explicou. Eu, como já conhecia o tipo, nem me dei ao trabalho, pois saquei qual era a dele desde a primeira pergunta.

7) Se um cara como esse não gostou, não recomenda e ainda precisa fazer matéria desonesta é sinal que você deve correr para o cinema hoje mesmo e assistir “Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola”. Nos vemos lá!

CONFIRA A VERSÃO DO JORNALISTA:

 



Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por NAZIR NEMMEN,16/11/2017

coitadinho, do reporter.... agora virou vitima....PQP

Por wagner,19/10/2017

esse reporter é um viadinho

Por Zé dos Camarás,18/10/2017

Sildiney, desculpe-me, mas você não sabe o que diz. Como uma crítica a qualquer produção cinematográfica de qualquer natureza (comédia, ficção científica...) não tem função social? Assiste-se ao filme e ponto?!?! Quem assim procede é um poste imerso num poço dos que aceitam tudo passivamente. Grande abraço!

Por Roberto Tadeu,17/10/2017

Agora talvez você aprenda como se fazer entrevista e ser imparcial, não como fez, querendo perguntas e respostas só do seu interesse porque não gosta do filme

Por Sildiney Costa e Silva,17/10/2017

Quando começamos a ver as coisas apenas de um paradoxo, e diferentemente de nossas ideologias, e, as criticando por isso, estaremos num caminho sem volta, é o velho conto de "ver apenas o Ponto Preto no meio do lençol branco", ficar esmiuçando a ficção com a realidade, procurando defeitos em algo, que, se arrumado, não muda nada em nossa ou em outras vidas. Qual a função social de se criticar uma comédia, ou ela é boa, ou é ruim,,,ponto.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM