Jornal do Commercio
CARROSSEL

SBT define elenco-mirim do remake de 'Carrossel'

Acostumada a encher os olhos de tantos públicos, Larissa Manoela Elias Santos agora se prepara para aborrecer telespectadores

Publicado em 28/09/2011, às 11h51

Da Agência Estado

Aos 5 anos, Larissa Manoela Elias Santos caminhava por um supermercado em Guarapuava (PR), quando um olheiro da agência Projeto Passarela a viu. Chamaram a atenção os olhos verdes da menina e sua postura ereta - resultado das aulas de balé. A pequena iria estourar, disse à mãe. Larissa ganhou um book de fotos, e logo estava num comercial da Telefônica. A estreia na TV foi pelo GNT, na série "Mothern" (2006). Então, a garota caiu nas graças de Claudio Botelho e Charles Möeller, dupla que é grife de espetáculos musicais no País, e "A Noviça Rebelde" (2009) entrou no currículo. A vitrine a levou à Globo, onde fez a minissérie "Dalva & Herivelto" (2010), como a cantora Dalva de Oliveira na infância. Viriam ainda "Gypsy" (2010) e o recente "As Bruxas de Eastwick", em cartaz no Teatro Bradesco. O talento de Larissa encantou o ator Selton Mello, que a convidou para "O Palhaço", filme do qual é diretor e estreia no fim de outubro.

Acostumada a encher os olhos de tantos públicos, porém, Larissa agora se prepara para aborrecer telespectadores. A garota é uma das 17 crianças selecionadas para dar vida à turma de alunos da professorinha Helena no remake da novela mexicana "Carrossel", exibida pelo SBT nos anos 90, e que ganhará versão brasileira na emissora. Larissa se prepara para viver a entojadinha Maria Joaquina, uma garota rica e mimada que se diverte em humilhar o colega de classe pobre e negro.

Na nova adaptação, que ficará a cargo de Íris Abravanel e deve estrear em março de 2012, Maria Joaquina, Cirilo e Cia voltam às aulas. Os intérpretes dos alunos daquela segunda série que se tornou querida dos brasileiros já estão definidos - só o papel da professora ainda está em aberto. E até a reabertura dos portões da Escola Mundial, o elenco mirim tem muito trabalho pela frente.

No workshop que a reportagem acompanhou no dia 21, no SBT, Larissa, que em casa brinca de interpretar e na escola não se permite tirar menos de 9, parece gente grande. Ao ver a lente do fotógrafo, não hesitou e fez carão. Ao ouvir o pedido de silêncio do preparador de elenco Ariel Moshe - treinador de "Éramos Seis" (1994) e "Chiquititas" (1998) - de imediato sentou-se e cruzou as pernas. "Ela é muito perfeccionista. A mãe do Selton (Mello) chegou a dizer a ela que o Selton nem sempre foi nota dez na escola, pra ver se ela ficava mais tranquila", conta a mãe, Silvana Santos.

A paranaense, no entanto, não é a única criança-prodígio. "Eles são todos espontâneos", diz Moshe. Isso, de fato, ficou claro num dos exercícios do laboratório, em que os atores-mirins citaram celebridades e puseram num mesmo patamar Leonardo da Vinci, Hannah Montana e Michael Jackson. "Não estou a cara do Michael?", dizia Guilherme Seta, de 8 anos, que será Davi, o judeuzinho de cabelos loiros encaracolados. "Mas eu sou mais parecida com a Mona Lisa!", retrucava Victoria Diniz, de 8, que na série "Separação" (2010, Globo), contracenou com Débora Bloch. Victoria será Bibi, que vive falando expressões em inglês.

Entre 10 mil inscritos, o diretor Del Rangel escolheu 17 crianças afiadas com as câmeras. Lucas Santos, de 10 anos, já gravou comercial com o jogador Robinho. Stefany Vaz, de 7, que fez questão de imitar a cantora Selena Gomez, é garota-propaganda da Danone. Já Fernanda Concon, de 9, também fez a série "Mothern". O elenco terá ainda a filha da cantora Simony, Aysha Benelli, de 8, e a apresentadora Maisinha, de 9, que não estava no workshop. As informações são do Jornal da Tarde.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM