Jornal do Commercio
EMMY 2017

Sem "Game of Thrones", disputa pelo Emmy 2017 está em aberto

Situação deixa o campo aberto para muita séries estreantes; veja quais são

Publicado em 15/09/2017, às 12h09

'Game of Thrones' ficou de fora da disputa por causa da data da estreia da sétima temporada  / Foto: HBO/Divulgação
'Game of Thrones' ficou de fora da disputa por causa da data da estreia da sétima temporada
Foto: HBO/Divulgação
Frankie Taggart, da AFP

Sem Game of Thrones e com várias produções aclamadas na disputa, o vencedor na categoria série dramática do Emmy 2017, que acontece no próximo domingo, é muito difícil de prever.

A série da HBO bateu o recorde com 12 prêmios no ano passado, mas não está entre as indicadas na 69ª edição do Emmy porque a sétima temporada começou após o prazo de consideração.

A situação deixa o campo aberto para muita séries estreantes elogiadas pela crítica, como "Westworld", ficção científica também da HBO, a distópica "The Handmaid's Tale", da plataforma de streaming Hulu, e a série de terror com estética dos anos 80 "Stranger Things", da Netflix.

"Acredito que os prêmios serão divididos entre todas, acredito que todo sairão felizes", disse à AFP a editora executiva para TV da revista Variety, Debra Birnbaum.

Alec "Trump" Baldwin

A cerimônia acontecerá no teatro Microsoft de Los Ángeles e terá como apresentador o comediante Stephen Colbert, o que garante piadas de tom político na primeira festa do Emmy desde a posse do presidente Donald Trump.

O longevo programa de humor da NBC "Saturday Night Live" (SNL) recebeu 22 indicações - mesmo número de "Westworld -, após uma temporada marcada pela paródia de Trump feita pelo ator Alec Baldwin.



A premiação é dividida em dois fins de semana. As categorias técnicas/criativas já foram anunciadas: SNL venceu em cinco categorias, incluindo a de ator e atriz convidados para uma série de comédia para Dave Chapelle e Melissa McCarthy.

McCarthy foi aclamada por sua paródia do nervoso ex-secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, que renunciou em julho.

Spicer brincou esta semana ao afirmar que a imitação "custou muito dinheiro na terapia".

O programa pode conquistar outras cinco estatuetas no domingo. Kate McKinnon, responsável pela imitação de Hillary Clinton, tentará repetir a vitória na categoria atriz coadjuvante em série de comédia.

Baldwin, Leslie Jones e Vanessa Bayer também foram indicados.

Moss e Louis-Dreyfus

"Feud: Bette and Joan", a série do FX sobre a rivalidade entre Joan Crawford e Bette Davis, recebeu 10 indicações.

A HBO é o canal com o maior número de indicações, 111, incluindo várias para a série de comédia política "Veep". Julia Louis-Dreyfus pode ganhar o sexto Emmy de melhor atriz pela série. Netflix recebeu 91 indicações e o canal de TV aberta NBC 64.

Na categoria série dramática - vencida por "Game of Thrones em 2015 e 2016 - estão na disputa cinco estreantes: "Westworld", "The Handmaid's Tale", "This Is Us" (NBC), "Stranger Things" e "The Crown" (Netflix).

A série sobre a rainha Elizabeth II venceu dois Globos de Ouro, mas "Stranger Things", que recebeu cinco Emmys no último fim de semana, passou a ser considerada a favorita por alguns.

As outras duas finalistas são "Better Call Saul" (AMC) e "House of Cards" (Netflix).

Para Birnbaum talvez existam duas apostas seguras para domingo: Elisabeth Moss como melhor atriz por série dramática por "The Handmaid's Tale" e Louis-Dreyfus por "Veep".


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM