Jornal do Commercio
Bastidores

'Um diretor queria meu namorado', revela Maitê Proença em entrevista

Atriz contou passagem de sua carreira no 'Roda Viva'

Publicado em 14/11/2017, às 17h34

Maitê Proença foi a entrevistada do programa 'Roda Viva', na TV Cultura. / Foto: Instagram/@eumaiteproenca/Reprodução
Maitê Proença foi a entrevistada do programa 'Roda Viva', na TV Cultura.
Foto: Instagram/@eumaiteproenca/Reprodução
JC Online

Na última segunda-feira (13), a atriz e escritora Maitê Proença foi a principal convidada do programa Roda Viva, na TV Cultura. Durante a entrevista, ela falou de muitos assuntos polêmicos, como assédios durante a carreira e a perseguição que sofreu por um diretor de novelas.

De acordo com o jornal Extra, a atriz contou na atração que já foi assediada inúmeras vezes, mas que sempre buscou não se abalar com esses tipos de agressão e seguir em frente.

"Eu fui assediada várias vezes, mas dava um 'passa-fora' para acabar aquela situação. Mas às vezes o sujeito é inteligente. Passa dez anos tirando papéis de você porque não cedeu ou falou alguma coisa que não agradou. Ele mina seu trabalho", disse Maitê, sem citar nomes ou situações.



Ela também contou que um diretor de televisão, interessado em seu namorado na época, tentou manchar sua reputação na TV Globo, e que só descobriu a perseguição após uma conversa com Boni, hoje ex-diretor da emissora carioca.

"Um diretor queria meu namorado. Ele precisou me tirar do caminho porque achava que seria mais fácil chegar a ele. Depois de seis meses que, em conversa com Boni, fiquei sabendo o que ocorreu. Esse diretor tinha me pedido para jogar uma garrafa contra a parede, como se fosse um ensaio. Ele gravou, mandou para o Paulo Ubiratan (diretor de novelas da Globo) e disse eu que era louca e que era impossível me dirigir", confessou Maitê.

VEJA O PROGRAMA NA ÍNTEGRA:


Recomendados para você


Comentários

Por Jose Mario,14/11/2017

Ser honesto no Brasil, vale a pena!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM