Jornal do Commercio
cultura cultura
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

ENTREVISTA

Frédéric Martel fala da geopolítica da cultura mainstream

Em entrevista ao JC, autor francês, convidado da Fliporto deste ano, comenta conceitos como o de "soft power"

Publicado em 15/11/2012, às 11h07

Diogo Guedes

Já faz um bom tempo que os bens culturais são elementos fundamentais para se entender as dinâmicas econômicas mundiais. Em Mainstream (Civilização Brasileira, 490 páginas, R$ 50), o jornalista e sociólogo Frédéric Martel revela o novo momento da geopolítica da cultura. O conceito de "soft power", uma influência política e econômica feita não através da coerção, mas da atração e da venda de um modo de vida, é praticado hoje não apenas pelos Estados Unidos, mas por nações emergentes como o Brasil. Na entrevista abaixo, Martel explica um pouco da dinâmica da economia da cultura e fala do papel do Brasil nesse espectro.

JC - Como pesquisar a geopolítica da circulação da cultura de massa pode nos ajudar a entender o cenário global? Isso é algo a ser levando em conta ao se analisar um produto midiático?
FRÉDÉRIC MARTEL -
Quando eu escrevi Mainstream não planejava criar um novo currículo ou sequer criar um livro. Eu fiz uma pesquisa prática, de campo, baseada em centenas de entrevistas em vários países. É verdade que, agora, ela parece estar ajudando pessoas no mundo todo a entender o mundo em que vivemos hoje e para onde estamos indo, especialmente nos países emergentes. Eu fico feliz com isso, mas não era o meu plano. O que eu queria era fazer um misto de bom jornalismo e boa pesquisa. Então, você tem razão. Eu realmente acho que temos que levar em conta a cultura e o mainstream para entender o que é o "soft power".

JC - O conceito de "soft power" é fundamental para se entender a globalização do mainstream. A influência pela atração, e não pela coerção, pode estabelecer uma hegemonia?
MARTEL -
Sim, eu acho que pode. Estranhamente, ela é usada pelo mesmo país que cunhou o termo e que é hegemônico: os Estados Unidos. Mas eu não acho que nós teremos no futuro uma hegemonia única. Os EUA são atores fundamentais desse jogo. Eu não tenho nenhum dúvida disso, e acho que vai continuar da mesma forma. Ao mesmo tempo, temos países emergentes que também vão ser atores nesse jogo. E, para mim, os países emergentes não são apenas os Bric (Brasil, Rússia, Índia e China). O México, a Colômbia e o Egito estão emergindo também. Esses países crescem não apenas demograficamente e economicamente, mas também a partir do conteúdo, da cultura, da mídia e da internet também.

JC - Uma grande consequência da dominação americana do mainstream é o modelo da "diversidade padronizada". Quais são os problemas (e pontos positivos) desse modelo?
MARTEL -
Eu cunhei essa expressão porque ela parece perfeita para qualificar os EUA: eles exportam de uma forma singular uma diversidade cultural bastante padronizada. É algo bom para eles porque por meio da sua própria diversidade eles são capazes de falar com o mundo, é um ponto negativo porque eles terminam sendo mais abertos a aceitar a própria diversidade interna do que vinda de fora. Eles mesmos escolhem sua própria definição de diversidade.

Leia mais no Caderno C do Jornal do Commercio desta quinta (15/11)

Palavras-chave

imprima
envie para um amigo
reportar erro

Comentar


nome e-mail
comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

Fotos do dia

No 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempre
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

> JC Imagem

No 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempreNo 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempreNo 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempreNo 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempreNo 3º dia de greve, 70% da frota circula e passageiros enfrentam os problemas de sempre

Ranking do dia

Especiais JC

A história de mim A história de mim
Especial do JC mostra a história de todos nós.
Especial Ariano Suassuna Especial Ariano Suassuna
Veja caderno especial publicado no JC no dia seguinte à morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM