Jornal do Commercio
ESTREIA

Bruno M. Tôp lança seu primeiro romance

"O Colecionador de Marfim & Outros Romances Pernambucanos" traz três histórias distintas

Publicado em 17/12/2015, às 05h09

Bruno M. Tôp começou a escrever a narrativa em 2007 / Divulgação

Bruno M. Tôp começou a escrever a narrativa em 2007

Divulgação

Do JC Online

Ao começar a escrever um livro em 2007, o economista pernambucano Bruno M. Tôp não imaginava que terminaria criando 12 narrativas distintas – ainda que interligadas. Depois de oito anos de trabalho com o material, ele lança quinta (17/12), a partir das 19h, na Rouge Creperia, a primeira parte dessas histórias no volume O Colecionador de Marfim & Outros Romances Pernambucanos (Edição do Autor). O livro marca a estreia do autor na ficção.

São três histórias dentro do volume: Pulsos, O Colecionador de Marfim – a mais longa – e Soprando no Vento. Na narrativa principal, Bruno fala do personagem Vicent, um jovem que coleciona amores e, sem esperar, se vê moldado pelas feridas do próprio sentimento. “Ele é alguém que tem a capacidade de se apaixonar e desapaixonar muito rápido e de estar sempre buscando um amor”, comenta o autor.

A obra com quase 400 páginas nasceu, ele conta, a partir da música Elephant Gun, do grupo americano Beirut. “Outra referência foi a prosa de Machado de Assis”, aponta. Bruno ainda revela que as demais histórias que ele já fez devem compor uma obra maior, que ele chama de “outros romances pernambucanos”.

 

Serviços

Lançamento de O Colecionador de Marfim & Outros Romances Pernambucanos - quinta (17/12), às 19h, na Rouge Creperia (Praça de Casa Forte, 570, Casa Forte). Acesso gratuito.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM