Jornal do Commercio
LIVRO 7

O dia em que o poeta russo Yevgeny Yevtushenko declamou no Recife

Poucos lembram, mas Yevgeny Yevtushenko, falecido no sábado (4/1), recitou na Livro 7 quando já tinha fama internacional

Publicado em 04/04/2017, às 08h10

Yevgeny Yevtushenko quando já morava nos Estados Unidos / AFP
Yevgeny Yevtushenko quando já morava nos Estados Unidos
AFP
Da redação, com agências

O poeta russo Yevgeny Yevtushenko, personagem emblemático do degelo da União Soviética (URSS), faleceu sábado (1/4) aos 84 anos nos Estados Unidos. Yevgeny Yevtushenko foi um símbolo do inconformismo durante o curto degelo pós-stalinista de Nikita Khrouchtchev no início dos anos 1960.

Grande declamador, tinha fama internacional, especialmente por poemas como Babi Yar, sobre o antissemitismo na Rússia, e The Heirs Of Stalin, crítica ao ditador soviético. É um fato pouco lembrado, mas Yevtushenko chegou a passar pelo Brasil – na verdade, veio até o Recife, convidado pelo partido comunista, no final dos anos 1980.

Por aqui, fez um breve recital na icônica Livro 7, do livreiro Tarcísio Pereira, que não lembra a data exata. O poeta, cineasta e intelectual Jomard Muniz de Britto apresentou o poeta russo.

“Ele foi muito simpático em sua passagem por aqui. No evento, vestia uma camisa vermelha, ainda recordo, e recitou dois poemas, que foram traduzidos por um amigo nosso, o médico Aníbal Valença. Foi uma noite com um bom público”, recorda o editor. Depois, Yevtushenko foi ainda beber na casa de Tarcísio com os amigos.

LENDA

“Yevtushenko era uma lenda (...) que vivia segundo sua própria fórmula”, declarou Natalia Solzhenitsyn, viúva do escritor e dissidente russo Alexandre Soljenitsyne, à emissora pública Rossia 24.



Pouco depois de ser hospitalizado nesta semana, Yevtushenko pediu para ser enterrado em Peredelkino, “não distante do túmulo de Boris Pasternak”, afirmou à agência oficial TASS o produtor Serguei Vinnikov, que prepara um festival de poesia na Rússia pelos 85 anos do poeta.

Nascido em 18 de julho de 1933 em Irkutsk, na Sibéria, Yevtushenko publicou seus primeiros poemas aos 20 anos. Rapidamente ganhou popularidade na União Soviética, onde sua liberdade de escrita e seu inconformismo rompiam com as normas admitidas na literatura da época stalinista.

Yevtushenko era um questionador do sistema soviético sem romper completamente a ponto de se tornar um dissente condenado ao exílio. Até por isso, alguns dos poetas mais críticos ao regime – e que pagaram por essa posição – criticavam a sua “aprovação oficial”.

Em determinado momento, alcançou o status de um pop star literário na União Soviética: chegou a recitar em um estádio cheio com cerca de 200 mil pessoas. Sempre em tensão com o cerceamento político do país, brincava que os censores eram seus “melhores leitores”, porque sabiam captar o sentido e as nuances do que ele dizia.

Yevtushenko morava há 20 anos nos Estados Unidos. Nos últimos anos, estava dando aula na Universidade de Tulsa, em Oklahoma.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM