Jornal do Commercio
PRECONCEITO

'Vejo o homossexualismo como um defeito', diz ‘príncipe’ brasileiro

Bertrand de Orleans e Bragança fez declarações homofóbicas no Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços)

Publicado em 02/05/2017, às 19h06

Bertrand de Orleans e Bragança seria o herdeiro do extinto trono / Beto Barata/Editora Globo
Bertrand de Orleans e Bragança seria o herdeiro do extinto trono
Beto Barata/Editora Globo
Rene Moreira, do Estado Conteúdo

O 'príncipe' Dom Bertrand de Orleans e Bragança causou polêmica na noite desta segunda-feira, 1º, ao participar da 12ª edição do Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços), onde falou sobre seu livro 'Psicose Ambientalista - Os Bastidores do Ecoterrorismo para implantar uma Religião Ecológica Igualitária e Anticristã'.

Durante palestra no teatro do Espaço Cultural da Urca, em Poços de Caldas (MG), ele criticou ambientalistas e chamou atenção ao abordar questões ligadas à sexualidade. "Eu vejo o homossexualismo como um defeito", falou.

A feira literária na cidade mineira é uma das principais do País e deve receber 50 mil pessoas. O teatro palco da apresentação tem capacidade para 450 pessoas, mas não estava cheio apesar de somar bom público. A presença do príncipe imperial está ligada à comemoração em Poços de Caldas da passagem de Dom Pedro II pela cidade, há 130 anos.

Bertrand é trineto do imperador, sendo conhecido por seus discursos conservadores e muitas vezes contra as ideias que se propagam hoje. "Esses mitos ambientais não têm nenhum fundamento científico", falou no Flipoços sobre as bandeiras ecológicas de defesa do meio ambiente. Explicando depois que "97% do Estado do Amazonas está intacto".

Para ele, as conversas de que pecuaristas estariam acabando com Amazônia seriam frutos de uma "campanha internacional". O monarca foi aplaudido em algumas ocasiões ao responder a perguntas do público. Isso aconteceu ao dizer que o homossexualismo seria um defeito. "A doutrina católica vê. E a maioria também vê", justificou Bertrand, que é católico e que tem entre os seguidores muitos jovens ligados à igreja.



Após a palestra, eles fizeram fila para conseguir um autógrafo no livro lançado pelo descendente da extinta monarquia. Ele aproveita o bom momento para defender a volta do antigo regime que, segundo ele, faria com que o Brasil fosse "bonito, honesto."

HISTÓRIA

Dom Bertrand de Orleans e Bragança, considerado "Príncipe Imperial do Brasil", é o terceiro dos doze filhos do Príncipe D. Pedro Henrique de Orleans e Bragança (1909-1981), chefe da Casa Imperial do Brasil até seu falecimento.

Também é neto de D. Luiz de Orleans e Bragança (1878-1921), o Príncipe Perfeito, bisneto da Princesa Isabel, e trineto do Imperador D. Pedro II, último monarca dos brasileiros.

Bertrand nasceu em 1941, em Mandelieu, no sul da França, onde o exílio da Família Imperial e a II Grande Guerra retiveram seus pais. Ele veio para o Brasil logo após o término do conflito, tendo recebido desde cedo aqui formação católica.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM