Jornal do Commercio
MUDANÇA

Prêmio Jabuti vai incluir HQ e livros publicados no exterior

A premiação do mercado editorial terá duas novas categorias, chegando a 29 no total

Publicado em 03/05/2017, às 18h28

Julián Fuks venceu o prêmio de Livro do Ano no Jabuti de 2016 / Divulgação
Julián Fuks venceu o prêmio de Livro do Ano no Jabuti de 2016
Divulgação
Estadão Conteúdo

Mais abrangente prêmio do mercado editorial brasileiro, o Prêmio Jabuti ganha, em sua 59ª edição, duas novas categorias: Histórias em Quadrinhos e Livro Brasileiro Publicado no Exterior.A premiação concedida anualmente pela Câmara Brasileira do Livro passa a contar, a partir deste ano, com 29 categorias. As inscrições começam dia 18.

HQ já aparecia no Prêmio Jabuti desde 2015, mas como adaptação. Agora, ganha novo status e adaptações em quadrinhos devem ser inscritas apenas como HQ. Segundo os organizadores, a nova categoria aceitará livros compostos por histórias originais ou adaptadas, contadas por meio de desenhos sequenciais, definidas pela união de cor, mensagem e imagem.



A segunda novidade anunciada pelo novo curador, Luiz Armando Bagolin, é a premiação de livros de autores brasileiros, de qualquer gênero, no exterior. Aqui, não será considerada apenas a qualidade da tradução, mas o tratamento dado à obra, como acabamentos, tiragem, promoção.

COMISSÃO

Além de Bagolin, integram a comissão do Prêmio Jabuti Jair Marcatti, professor da Escola Superior de propaganda e Marketing (ESPM) e coordenador do Observatório de Economia Criativa da mesma instituição; Luis Carlos de Menezes, professor do Instituto de Física da USP e coordenador acadêmico da Faculdade SESI/SP de educação; Pedro Almeida, editor; e Eduardo Jardim, filósofo, professor, autor e vencedor do Livro do Ano de 2016.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM