Jornal do Commercio
ADAPTAÇÃO

Livro de Raimundo Carrero vai ganhar leitura dramatizada

A História de Bernarda Soledade, primeira obra do autor, foi adaptada por Fabiana Pirro, Sílvia Goes e Ana Nogueira

Publicado em 07/05/2017, às 06h19

O elenco que vai fazer a leitura dramática de A História de Bernarda Soledade / Roberta Guimarães/Divulgação
O elenco que vai fazer a leitura dramática de A História de Bernarda Soledade
Roberta Guimarães/Divulgação
Diogo Guedes

Quando começou a escrever a novela A História de Bernarda Soledade – A Tigre do Sertão, Raimundo Carrero pensava estar diante de uma peça teatral. Na escrita, percebeu que tinha uma narrativa nas mãos, mas nunca deixou de ver na obra o potencial de estar no teatro ou no cinema. Na próxima quarta (10), às 20h, o desejo antigo dele vai ser realizado: a novela vai ganhar, pela primeira vez, uma versão cênica.

É uma leitura dramática, que acontecerá gratuitamente no Centro Cultural Raimundo Carrero, no Espinheiro. A apresentação faz parte do Circuito de Leituras Teatrais Dramatizadas da Literatura Pernambucana e é comandado por Fabiana Pirro, Sílvia Goes e Ana Nogueira, que interpretam as personagens principais da obra. O elenco ainda conta com outros três atores: Claudio Ferrário, Diógenes D. Lima e Edjalma Freitas.

Carrero sempre teve vontade de ver uma montagem com Fabiana como Bernarda Soledade. “Sempre tive uma grande admiração por ela e acho ela parecida com Bernarda, pela altura, pela postura e pela cor”, confessa o escritor. Na verdade, o projeto de construir uma leitura do romance começou a nascer há muito tempo, quando Ana Nogueira, que havia feito a oficina literária do escritor, recomendou a Fabiana o livro, ressaltando um possível semelhança com a personagem. Tempos depois, de um encontro com Carrero, Fabiana retomaria a ideia e convidaria Ana e outros colegas.

Já faz algum tempo que Fabiana se dedica a leituras dramatizadas. Trabalhou com textos de commedia dell’arte, do teatro do absurdo, do teatro pernambucano e, já em parceria com Silvia Goes, de Hilda Hilst. Com o convite de Raimundo Carrero, começa uma nova etapa, que vai se voltar a escritores pernambucanos. Joaquim Cardozo e Hermilo Borba Filho são os próximos.



BERNARDA SOLEDADE

Fabiana, Silvia e Ana trabalharam a versão do texto que vai ser lida junto com Carrero. “Eu já havia feito uma adaptação do livro para o grupo paulista Teatro de Transeuntes. Elas leram a versão, mas preferiram fazer uma nova, pois leitura dramática não é peça, não tem palco”, comenta o escritor salgueirense. Fabiana cita um dos colegas de peça, Diógenes, que brinca que “fazer uma leitura dramática é mais difícil do que fazer uma peça”. “Busca o tom e a inspiração de cada um é um processo difícil”, ressalta a atriz.

Segundo Ana, a ideia era criar uma versão que mantivesse a força quando lida. “Achamos que não estava num formato adequado e também sentíamos falta de certos momentos do livro. Então começamos a fazer uma leitura juntos, observando diálogo e selecionando trechos”, explica Ana, que vive Gabriella na leitura, que construiu a partir da sua vivência de interior, através das origens da família. Ela fica vestida de noiva a leitura toda, esperando o marido que morreu enforcado chegar”, adianta.

A ideia inicial era que Carrero interpretasse o Coronel Pedro Militão. No fim, o escritor preferiu deixar o posto para outra pessoa – Claudio Ferrário foi convidado para viver o personagem e também ler os trechos da narração da obra. Já Fabiana é a protagonista. “É uma figura feminina que também tem seu lado masculino, que é forte e frágil ao mesmo tempo. É uma filha como muitas que existem nas famílias, alguém responsável pelo andamento e pelo cuidado de todos.”, destaca a atriz.

Fabiana tem vontade de transformar a leitura em uma peça, mas é difícil porque quase não há dinheiro para isso – a apresentação tem apoio da Gráfica do Parque e do Empório Sertanejo, mas precisaria de mais dinheiro para cenário e ensaios. “O que queremos mesmo é movimentar a cidade”, define. Ana não esconde a vontade de ver a peça como uma montagem completa. “E quero levar a leitura para Salgueiro, porque o livro fala o tempo todo de lá”, aponta. Carrero faz coro: “Está lindo, algo extraordinário. Vamos tentar reunir esses recursos, até com ajuda estatal, se for preciso”.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM