Jornal do Commercio
QUADRINHOS

Super-Homem enfrenta supremacistas brancos

Personagem age para impedir um operário desempregado que pretende matar imigrantes na última edição da 'Action Comics'

Publicado em 14/09/2017, às 03h16

Episódio evoca a recente violência em manifestações de extremistas de direita nos Estados Unidos, como ocorreu em agosto passado, em Charlottesville, Virgínia / Foto: Gabriel Bouys / AFP
Episódio evoca a recente violência em manifestações de extremistas de direita nos Estados Unidos, como ocorreu em agosto passado, em Charlottesville, Virgínia
Foto: Gabriel Bouys / AFP
AFP

Os vilões já não são mais os gênios do mal ou alienígenas invasores: Super-Homem tem agora a missão de proteger imigrantes dos abusos de supremacistas brancos.

Na última edição da série "Action Comics", que publica as aventuras do Super-Homem desde 1938, o "homem de aço" age para impedir um operário desempregado que pretende matar imigrantes.

Com camisa azul e bandana com as cores da bandeira dos Estados Unidos (vermelho, azul e branco), o vilão bigodudo representa todos os clichês do trabalhador americano pobre.

Com uma arma na mão, ameaça mulheres de véu e arremete contra trabalhadores hispânicos, os quais acusa de roubar seu emprego.



"Trabalham por quase nada, não falam inglês e assim não podem exigir sequer um centavo a mais. Tomaram o meu trabalho! Meu modo de vida! Por tudo isto, vão pagar", diz o operário antes de atirar.

Mas no momento exato aparece o Super-Homem, desviando as balas com seu peito, para salvar os imigrantes.

"A única pessoa responsável por sua escuridão, que sufoca a sua alma, é você", diz o herói de capa vermelha ao supremacista branco.

Referência

O episódio evoca a recente violência em manifestações de extremistas de direita nos Estados Unidos, como ocorreu em agosto passado, em Charlottesville, Virgínia.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM