Jornal do Commercio
Pop

Há 10 anos, Britney Spears raspava a cabeça em meio a fase conturbada

2007, ano emblemático na vida da cantora, resultou no disco Blackout

Publicado em 16/02/2017, às 15h07

Momento conturbado da vida de Britney Spears foi transformada em arte com o Blackout / Reprodução
Momento conturbado da vida de Britney Spears foi transformada em arte com o Blackout
Reprodução
JC Online

Na internet, a frase "se Britney sobreviveu a 2007, você sobrevive a este dia" virou uma espécie de meme. Significa que, não importa o problema que você esteja passando, as adversidades enfrentadas pela cantora há 10 anos, quando chegou à beira do precipício, eram ainda maiores. E ela superou. Emblemático para este período, o momento em que a diva americana raspou a cabeça, durante uma madrugada, seguida por paparazzi, completa dez anos nesta quinta-feira (16).

Uma das celebridades mais vigiadas do mundo desde que ascendeu à fama mundial, quando tinha apenas 17 anos, Britney Spears sofria há anos com a perseguição de fotógrafos. Cada passo seu era milimétricamente fotografado. E em 2007, quando tinha apenas 25 anos, essa relação doentia chegou ao auge. 

Recém-separa de Kevin Federline , com quem teve dois filhos, Britney sofria pressões de sua gravadora, ao mesmo tempo em que buscava maior independência artística e chegou a gravar muitas canções que falavam sobre o lado obscuro da fama e da indústria musical. A tentativa de controlar Britney, a dor da separação, a maternidade, os paparazzi, a perda de uma tia querida, tudo parece ter contribuído para um momento de instabilidade psicológica da cantora, que foi cruelmente registrado por toda a mídia. 

Ao raspar o cabelo, Britney Spears atestava o auge de sua rebeldia contra as expectativas que as pessoas tinham dela. Instável emocionalmente, ela não teve apoio ou suporte. Pelo contrário, a mídia só queria mais e mais, como a cantora versaria depois na música Gimme More.

SUPERAÇÃO

2007 foi um ano que parecia não ter fim para a cantora e seus fãs. Fotos de noitadas, momentos de choro, abuso de substâncias, instabilidade da cantora eram recorrentes. Foi neste período, também, que ela lançou seu trabalho mais vigoroso, o álbum Blackout, considerado até hoje um clássico do pop.

Apesar de tudo e contra todas as probabilidades, Britney triunfou e, hoje, parece feliz e serena, dando continuidade a uma das carreiras mais bem sucedidas da história da música. Associada à imagem de garota frágil e indefesa, Britney provou que, acima de tudo, é uma sobrevivente.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM