Jornal do Commercio
Turnê Meu Canto

Mesmo com quase queda, Sandy encanta público do Teatro Guararapes

Com casa cheia (e não lotada), quase 1.500 pessoas prestigiaram a volta da cantora a Pernambuco após cinco anos de ausência

Publicado em 18/03/2017, às 08h00

Sandy fez um show impecável da Turnê Meu Canto no Recife, o primeiro de 2017 da cantora. / Foto: Guga Matos/JC Imagem
Sandy fez um show impecável da Turnê Meu Canto no Recife, o primeiro de 2017 da cantora.
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Robson Gomes

Conhecida pelo perfeccionismo, foi a própria cantora Sandy que quebrou protocolos no palco do Teatro Guararapes nesta sexta-feira (17), quando fez o primeiro show da temporada 2017 da Turnê Meu Canto, abrindo a etapa nordestina do espetáculo. Começou o show com 45 minutos de atraso, e fugiu do próprio script logo após a música Sim - a primeira em cena depois da abertura, Meu Canto - para falar rapidamente com o público e gritar: "Recife, que saudade!". Geralmente, ela só cumprimenta o público duas canções depois.

As quase 1.500 pessoas que encheram, mas não lotaram o local do show, estavam dispostos a cantar todas as músicas a plenos pulmões. Fanáticos pela cantora em sua maioria, não cansavam de gritar pra ela entre uma música e outra elogios como "diva", "perfeita" ou "deusa", além dos inúmeros "eu te amo". Mas logo na quarta canção do show, Ela/Ele, um fã "tinha amor demais pra dar" e subiu no palco para tentar abraçar a cantora. A cena, que rapidamente tentou ser evitada por três seguranças, se tornou épica por Sandy tentar cumprimentar o rapaz, mas acabou sendo puxada pelo fã de modo a quase derrubá-la no palco. Educada como costuma ser, se levantou sorrindo, mas se sentiu incomodada ao ser pressionada no braço pelo jovem, que foi retirado pela cochia. "Eu tentei falar, mas você tava muito afobado! Quase levou meu braço", disse a artista, levemente constrangida.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

Intempéries à parte, Sandy seguiu seu roteiro do Meu Canto à risca. Às vezes, quebrava a quarta parede de seu próprio cenário e tentava chegar mais perto dos fãs. "É tão bom fazer show aqui", reforçou a cantora, que foi logo correspondida por um bonito coral da plateia para substituir a voz de Tiago Iorc no sucesso Me Espera. E o público ainda a surpreendeu cantando Como é Grande o Meu Amor Por Você levantando balões de coração, fotos e rosas. A artista acompanhou a música e agradeceu a linda homenagem. "Vocês querem me matar do coração", disse.

A surpresa do show ficou por conta de uma novidade no repertório. A canção Mesmo Sem Estar, gravada em parceria com Luan Santana para o disco dele, ganhou um arranjo solo e diferenciado. E mesmo com apenas quatro músicos (a adaptação necessária para a turnê nordestina), a banda de Sandy deu um show de sintonia e, porque não, simpatia com o público.

PARA RECORDAR

Nos momentos finais do Meu Canto, era chegada a hora do bloco dedicado às canções da dupla Sandy & Junior, Nada é Por Acaso e Desperdiçou. Sem dúvida, era o mais aguardado pela plateia, que exibia em seus semblantes uma verdadeira nostalgia e alegria por relembrar 17 anos de uma dupla que nutre milhares de fãs até hoje, fazendo questão de se levantar de suas poltronas para viver aqueles instantes. 

Como é de costume, Sandy ensaiou uma saída fake após Desperdiçou. Foi a deixa para o público puxar Quando Você Passa (Turu Turu) num coral arrepiante. Enquanto os músicos retornavam para o cenário, Sandy ressurgiu acompanhando as centenas de vozes e a banda ainda seguiu tocando, fazendo o momento durar mais um pouco. E antes de cantar a animada e derradeira Ponto Final, a cantora agradeceu à Recife, deixando uma esperança de retorno: "Espero voltar logo", disse ela. O público também, cantora. E que não seja por mais cinco anos.

Recomendados para você


Comentários

Por JACKKUELINE FERREIRA,23/03/2017

O SHOW FOI MARAVILHOSO, A QUESTÃO DA CASA NÃO LOTADA FOI COM RELAÇÃO AO VALOR DO INGRESSO QUE FOI CARO, MAIS FUI SÓ. EU ESTAVA PLANEJANDO LEVAR ALGUNS PARENTES E FICOU FORA DE QUESTÃO !! MAS VALEU A PENA,

Por CLÁUDIO DE MELO SILVA,19/03/2017

Acho que o nobre jornalista está querendo maquiar o fracasso. Mil e quinhentas pessoas no Teatro Guararapes é um público pífio. Na minha concepção de fã dela, acho que Sandy não encorporou bem essas novas músicas compostas por ela e por outros autores. Acho que a voz dela se adapta melhor com músicas que exijam maior ímpeto de interpretação, como as internacionais que ela gravou no seu DVD anterior.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM