Jornal do Commercio
VIOLÊNCIA

Victor Chaves sobre agressão: “Estou tranquilo porque nunca bati”

O cantor da dupla Victor e Leo afirmou que nunca agrediu a esposa em uma entrevista à Rádio Gaúcha

Publicado em 20/04/2017, às 18h58

Victor Chaves afirmou:
Victor Chaves afirmou: "Se cometi um ato grave, vou responder por isso".
TV Globo/Divulgação
Estadão Conteúdo

Na última quarta-feira, 19, Victor Chaves falou novamente sobre a acusação de agressão contra a mulher, Poliana Bragatini. Em entrevista à Rádio Gaúcha, transmitida ao vivo pelo Facebook, o cantor voltou a afirmar que nunca agrediu ninguém. O cantor foi indiciado por agressão pela Polícia Civil após perícia das câmeras de segurança do prédio onde ocorreu a briga entre o casal.

"Não há com o que se preocupar. Se cometi um ato grave, vou responder por isso. Se não, o tempo vai esclarecer. Estou tranquilo com isso porque nunca prejudiquei uma pessoa fisicamente, nunca bati em ninguém", disse.

O cantor ainda reiterou que não gosta de falar de sua vida pessoal e reclamou sobre o julgamento das pessoas: "Eu não disse o que houve, e alguém diz assim: 'Nossa, o que você fez é imperdoável'. Outras dizem o seguinte: 'a gente está com você'. Ou seja, tanto de um lado quanto de outro. Eu respeito tudo, mas depois que passou aquilo que estava internamente sendo aflitivo e tudo mais, o turbilhão continuou, mas continuou pela forma como as pessoas julgam e condenam as coisas, a vida, o entorno, sem buscar nenhuma informação".



Victor ainda falou que está esperando que tudo seja apurado pela Justiça e diz não ter se defendido anteriormente para não parecer culpado. "Para mim, foi uma vitória ser indiciado por vias de fato. Por que foi uma vitória? Era uma vitória já contada, pois se não fosse, estaria errado. Afinal de contas, não machuquei ninguém, absolutamente. Não estou me defendendo, por isso não falei nada no primeiro mês, porque se você é acusado de ter agredido alguém e vai dizer para todo mundo que você não agrediu, fica parecendo óbvio que você está se defendendo. Então, prefiro que a Justiça esclareça isso", completou.

O CASO

No dia 24 de fevereiro, Poliana Bragatini registrou um boletim de ocorrência alegando ter sido empurrada e chutada diversas vezes pelo marido. No dia seguinte, ela foi até o IML de Belo Horizonte para realizar o exame de corpo de delito. Dois dias depois, uma carta em que Poliana negava a agressão foi publicada num suposto perfil dela no Instagram. O perfil, porém, foi deletado algum tempo depois.

No dia 13 de março, e Divisão Especializada no Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência (Demid) de Belo Horizonte (MG) anunciou que o laudo do Instituto Médico Legal sobre lesão corporal contra Poliana deu negativo. Na época, entretanto, o Demid deixou claro que ainda aguardava o resultado da perícia realiza


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM