Jornal do Commercio
Disco

Lucero arrisca bem no português ao lançar o disco 'Brasileira'

Atriz mexicana canta em espanhol, mas, também, na língua dos brasileiros, num trabalho que decola como a novela 'Carinha de Anjo'

Publicado em 30/07/2017, às 05h30

Com a maioria das canções em português, a mexicana Lucero agrada com o álbum 'Brasileira'. / Foto: Universal Music/Divulgação
Com a maioria das canções em português, a mexicana Lucero agrada com o álbum 'Brasileira'.
Foto: Universal Music/Divulgação
Robson Gomes

Ela tem 47 anos de idade. Nascida na Cidade do México, Lucero Hogaza León é o nome completo daquela que, artisticamente, só precisou do primeiro nome para ser reconhecida como uma estrela. Atriz, apresentadora e cantora de sucesso em toda a América Latina, chegou no Brasil pelas ondas do SBT/TV Jornal em 1984, quando protagonizou a novela infantil Chispita. Hoje, ela não só está no ar no País novamente, como faz parte do elenco de uma trama brasileira do SBT: o remake de Carinha de Anjo, que é sucesso de público.

Além de falar em português na novelinha vivendo a doce Tereza, a atriz se aventurou a cantar no idioma para compor a trilha sonora. A experiência cresceu e se tornou um disco recém-lançado, intitulado Brasileira (Universal Music, 2017).

Como o título indica, o projeto é uma homenagem da cantora ao Brasil, país que sempre reconheceu seu trabalho, e pelo qual ela tem um profundo afeto e agradecimento. Em 12 faixas, o álbum traz canções majoritariamente em português, mesclando material inédito, sucessos locais e faixas que integram a trilha sonora da novelinha do SBT, com produção musical de Arnaldo Saccomani e Laércio Ferreira.

O disco abre com o tema de abertura de Carinha de Anjo em português. Logo nos primeiros versos, fica nítido que se trata de uma estrangeira tentando cantar em nosso idioma, mas nada soa forçado: a doce voz da mexicana faz com que o sotaque espanhol seja o charme de todo o álbum. As faixas Filha Linda, Joia Rara Preciosa e Pequena Aprendiz também foram concebidas para a novelinha escrita por Leonor Corrêa, e carregam emoção na medida certa.

A primeira curva crescente aparece na quinta música. Tô de Olho é uma canção inédita em português onde Lucero se aventura numa letra um pouco mais adulta. Os arranjos trazem um samba pop mais envolvente, e não deixa de ser interessante ouvir uma cantora estrangeira soltar versos levemente ousados como: “E o povo em volta só fica olhando / Não entende nada / E nesse mexe e remexe / Eu boto pressão / E incendeio toda a pista”.



A versão em espanhol de Carinha de Anjo abre espaço para Lucero interpretar músicas em sua língua materna. Mas a surpresa vem em seguida com a sequência Evidencias, Mi Talismán e Soledad que, basicamente, são versões em espanhol de grandes sucessos brasileiros. Na primeira, o arranjo mais pesado – numa boa mistura de guitarras com violinos – para o clássico de Chitãozinho & Xororó é disparada a melhor releitura deste disco.

Já o hit Talismã, de Leandro & Leonardo, ganhou uma versão bem mexicana. Não há como não lembrar dos típicos músicos mariachis ao ouvir a melodia, junto com a interpretação mais passional de Lucero. Por fim, a tradução de Solidão – sucesso de Sandra de Sá – também foi bem executada. Por coincidência, as três faixas já integraram um disco de Lucero anteriormente chamado Aquí Estoy, lançado em 2014, e foram escritas pela cantora e compositora mexicana Ana Gabriel.

MÚSICAS ESPECIAIS

Nas últimas faixas, Lucero volta para o português em músicas bastante especiais. Em Era Uma Vez, ela revive o clássico da dupla Sandy & Junior gravado com Toquinho em 1997. A canção também faz parte da trilha de Carinha de Anjo.

A mexicana também se rende ao meloso hit da internet composto por Ana Vilela e emprestou sua voz para interpretar Trem-Bala. A releitura acabou sendo escolhida para ser tema da edição 2017 do Teleton, o programa anual beneficente do SBT.

Por fim, o disco é encerrado com a linda interpretação de Aquarela, outro clássico infantil do Toquinho. A impressão que fica é que Brasileira é, acima de tudo, um trabalho sensível, feito com o amor de uma mexicana para seus admiradores brasileiros.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM