Jornal do Commercio
Disco

Maracatu Nação tem inventário

Disco registrou o toque de 19 nações de maracatu

Publicado em 10/07/2011, às 06h00

José Teles

Pernambuco, em geral, e o Recife (a região metropolitana), em particular, tem a peculiaridade de abrigar dois dos mais importantes gêneros musicais brasileiros, o frevo e o maracatu de baque virado. O maracatu é a mais antiga destas manifestações culturais. Durante um período de final dos anos 70 a meados dos 80, esteve em decadência, só lhe era dada atenção no período carnavalesco. Sem dúvida alguma, o surgimento do grupo Maracatu Nação Pernambuco no final dos anos 80, mesmo não sendo “Nação” autêntico, fez ressurgir o interesse no maracatu de baque virado, no começo dos anos 90, e de certa forma influiu também no movimento mangue. O percussionista Naná Vasconcelos, com o encontro de maracatus, que idealizou para a abertura do carnaval do Recife, sedimentou de vez o ritmo como força cultural do estado.

Hoje existem dezenas de grupos de maracatus, se somados à vertente de baque solto, são centenas de agremiações. Dos que se denominam Maracatus Nação, surge agora um trabalho que se fazia necessário. Um disco que não poderia ter nome mais apropriado: Inventário sonoro do maracatus nação de Pernambuco, viabilizado com projeto aprovado pelo Funcultura, e é uma realização da Amanpe (Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco. o lançamento acontece hoje, no Pátio de São Pedro, às 16h, com entrada franca, e participação dos grupos participantes. 

O álbum traz o registro de 19 grupos de maracatu, alguns centenários, outros mais recentes. Desenvolvido de agosto de 2010 a janeiro deste ano, os produtores tiveram a preocupação de ouvir os mestres, batuqueiros, e dirigentes. Visitaram 19 nações em suas sedes. As loas, ou toadas que estão neste CD foram da escolha dos próprios integrantes. Não há aqui o purismo de apenas se ter aceitas toadas antigas, assim como nem todos os grupos remontam ao final do século 19, começo do século 20. 




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM