Jornal do Commercio
ARTISTA PLÁSTICA

Adriana Bertini cria roupas com camisinhas para conscientização sobre HIV

Brasileira criou o projeto Condom Couture quando era voluntária do Grupo de Apoio à Prevenção da Aids

Publicado em 04/08/2016, às 16h27

Adriana Bertini já expôs suas criações na Ásia, África, Europa e América / Reprodução
Adriana Bertini já expôs suas criações na Ásia, África, Europa e América
Reprodução
Anna Rombino, especial para Estadão Conteúdo

Dior, Chanel, Balenciaga e Valentino são as principais inspirações de Adriana Bertini para criar seus vestidos de festa, todos feitos a mão, em um processo que se assemelha aos trabalhos artesanais de costureiros de ateliês de alta-costura. Porém, em vez seda, algodão e cristais bordados, a artista plástica brasileira usa uma matéria prima inusitada para suas peças: camisinhas. 

O projeto Condom Couture surgiu em 1996, quando Adriana era voluntária do Grupo de Apoio à Prevenção da Aids, na comunidade paulistana de Heliópolis, e recebeu o desafio de fazer uma intervenção de rua com 144 preservativos que já estavam fora do prazo de validade. Desde então, a artista expandiu o número de peças feitas de camisinhas. Ela já expôs seu trabalho em museus na Ásia, África, Europa e América, e atraiu a atenção de artistas como Richard Gere, que hoje é parceiro do projeto com a Richard Gere Foundation, e do músico Elton John. 

Além de terem status de arte, as roupas confeccionadas por Adriana servem como forma de conscientização sobre o uso de preservativo e prevenção do vírus HIV. "Como fazer as pessoas usarem o preservativo antes da relação sexual se elas não têm intimidade com o objeto? Elas mal conhecem o toque e a textura", diz a artista. "Gostando ou não da minha obra, o público se identifica com as peças e questiona no sentido mais profundo o uso do preservativo", continua.

O principal objetivo de Adriana, que também realiza projetos sociais com crianças portadoras do vírus do HIV, é ajudar a formar uma geração livre da Aids - uma meta distante. "A prevenção está falha. Fala-se do uso da camisinha, mas não em mudar o comportamento. No Brasil, o índice do uso de preservativo entre os jovens é de 60%, o que é pouco porque entre eles a incidência de HIV e Aids está subindo alarmantemente", afirma.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM