Jornal do Commercio
Emoção

Dona Florinda passou oito horas abraçada com o corpo do eterno Chaves

Florinda destacou o apoio que deu ao seu marido, desde quando começaram a manter uma relação de flertes, ainda nas gravações do programa, até a saída da TV

Publicado em 10/02/2017, às 17h43

Florinda Meza e Roberto Bolaños / Televisa/ Divulgação
Florinda Meza e Roberto Bolaños
Televisa/ Divulgação
JC Online

Muito emocionada, Florinda Meza revelou detalhes sobre a sua sua vida com Roberto Bolaños, o inesquecível Chaves da série mexicana homônima, em uma entrevista para a Rede Record. A atriz, que enfrentou muitas críticas e elogios durante sua relação com Bolaños, não guardou elogios ao eterno marido.

Amor e companheirismo

Entre "Eu ficava com ele na mesma cama para que me abraçasse" até a revelação mais tocante: após a morte do marido, ela teria passado 8 horas abraçada com o corpo. "Desde uma e meia até às nove da noite, quando chegaram da funerária para levá-lo para preparar. Fiquei abraçando e, depois do tempo todo na mesma cama, quiseram que eu saísse e eu não quis", ressaltou.

Ela destacou o apoio que deu ao seu marido, desde quando começaram a manter uma relação de flertes, ainda nas gravações do programa, até quando o casal ficou sabendo, através de um jornal, que haviam sido afastados da TV - gerando assim uma depressão que, segundo Florinda, perdurou na vida de Bolaños até sua morte.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM