Jornal do Commercio
Viral

Japonesa gasta mais de 70 mil dólares para viver em Casa da Barbie

Azusa Sakamoto é conhecida como Azusa Barbie e só usa produtos relacionados à boneca

Publicado em 14/03/2017, às 18h22

"Asuza Barbie", como é conhecida, já gastou 70 mil dólares com sua obsessão
Reprodução
JC Online

Azusa Sakamoto, uma japonesa de 35 anos, é uma das maiores fãs da Barbie do mundo. Se vestindo apenas com produtos relacionados à famosa boneca, ela já gastou mais de 70 mil dólares para montar seu apartamento como uma verdadeira Casa da Barbie.

Seu apartamento, um estúdio em Los Angeles, é todo pintado em rosa choque, cor característica da boneca, e praticamente todos os itens são inspirados na Barbie, cortina, cama, toalhas e sabão. Ela também possui 160 Barbies, dos modelos mais modernos aos vintagens.

A paixão pela boneca, no entanto, não começou, como muitos pensam, na infância. Nascida e criada no Japão, ela afirmou, em entrevista ao Yahoo, que ela nunca brincou com Barbies e, por isso, nunca viu o brinquedo como algo para crianças. A primeira veza que comprou um produto relacionado à sua obsessão foi aos 15 anos, quando adquiriu uma lancheira da Barbie. "Simplesmente parecia uma cultura pop americana legal. Eu não pensei que fosse
 para crianças, sabe?", disse.

 

ÍCONE

 

Dia 9 de março, a boneca Barbie, cujo "nome de batismo" é Barbara Millicent Roberts, completou 58 anos. Desenvolvida pela empresária Ruth Handler, a Barbie tinha a intenção de representar uma mulher adulta, já que, na época, a maioria das bonecas reproduziam imagens infantis. Brinquedo mais lucrativo da Matel, a Barbie se tornou um ícone da cultura pop, recebendo, também, muitas críticas por supostamente reproduzir estereótipos de gênero e físicos. 

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM