Jornal do Commercio
PERFIL

Carolina Dieckmann fala sobre a rotina tranquila em Miami

Atriz está morando há um ano nos EUA e também comenta seu trabalho no cinema, O Silêncio do Céu

Publicado em 20/03/2017, às 16h55

Carolina Dieckman no ensaio para a revista  / Joyce Pascowitch/Reprodução
Carolina Dieckman no ensaio para a revista
Joyce Pascowitch/Reprodução
JC Online

A atriz Carolina Dieckmann mora há um ano em Miami e falou sobre a experiência, para a edição de março da revista Joyce Pascowitch, como uma oportunidade para enxergar a própria vida "de fora". "Sinto como se eu tivesse em uma bolha de sabão voando em volta da minha vida. Eu não me conheço sem ser famosa, sou famosa desde os 13 anos. E essa é uma oportunidade de olhar e falar: 'Olha ali a Carolina Dieckmann, olha ali ela, sendo reconhecida'", explicou a atriz.

Ela tem uma rotina tranquila nos EUA que, segundo a publicação, "resume a andar de bicicleta, levar o filho Davi para a escola, fazer aulas de inglês, passear por mercados de orgânicos ou simplesmente ler um livro deitada em um parque, a atriz está conseguindo enxergar sua vida de fora".

Carolina Dieckman também falou sobre o filme O Silêncio do Céu, rebatendo opiniões de que estaria mais madura como atriz. "Já fiz coisas tão profundas na televisão. Para mim não tem essa diferença, por que tudo o que eu faço é profundo. Eu estudo pra caramba. Eu me entrego pra caramba", disse ela durante a entrevista.

"As pessoas têm preconceito com TV, assim como têm preconceito com quem faz filme de comédia no Brasil. É muito barra pesada. Aí, quando você começa a fazer cinema, parece que você amadureceu. Os próprios atores têm esse preconceito, apesar de ser menos", continuou.

 

VIDA PESSOAL

Além de falar sobre a fase atual da sua vida, e dos trabalhos como atriz, Carolina Dieckman também compartilhou suas experiências relacionadas à gravidez e à terapia. "Nas duas vezes que fiquei grávida, passei por uma bad trip muito séria. Fiquei doente mesmo. Não gostei de ficar grávida, achava que meus filhos podiam nascer com uma coisa, eram pensamentos, do tipo 'como meu filho vai nascer, esse planeta não tem mais água'", contou ela sobre o primeiro tema.

"Fiz terapia para me separar do meu primeiro marido. Essa coisa do amor acabar... Pensava: isso não é possível, eu devo estar louca, não conseguia aceitar que eu não queria mais ficar com aquela pessoa", revelou.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM