Jornal do Commercio
Investimento

Emilly, vencedora do BBB 17, aluga apartamento de R$ 11 mil por mês

Ela morará com Mayla, e o pai, Volnei Alves. Família residirá na Barra da Tijuca

Publicado em 15/05/2017, às 11h15

Vencedora do BBB 17, Emilly quer investir na carreira de atriz / Reprodução
Vencedora do BBB 17, Emilly quer investir na carreira de atriz
Reprodução
JC Online

Milionária após vencer o BBB 17, Emilly Araújo agora quer aproveitar todas as oportunidades que a fama instantânea tem lhe proporcionado. Por isso, a gaúcha resolveu se mudar com a família para o Rio de Janeiro e, para melhor acomodar seu novo padrão de vida luxuoso, alugou apartamento que custa R$ 11 mil por mês, na Barra da Tijuca.

De acordo com informações do jornal Extra, Emilly está focada em se firmar como atriz. Querendo mais do que 15 minutos de fama, ela já estuda alguns convites, entre eles uma suposta participação na novela Malhação. Ainda de acordo com fontes da publicação, essa seria uma razão pela qual a ex-BBB tem feito cada vez menos presenças VIP.



Agora, Emilly estaria aceitando apenas trabalhos que paguem muito, como a parceria com um aplicativo de táxi. Ao mesmo tempo, ela tem ganho muitos presentes de seus fãs e de empresas, que esperam fazer permuta com a ex-sister, que já tem mais de 2 milhões de seguidores em suas redes sociais.

NOVOS PASSOS

Para a nova fase da carreira, Emilly quer investir em reposicionamento de imagem. Para isso, está à procura de um stylist para renovar seu guarda-roupa e estilo, além de ter contratado a mesma equipe que gerencia a carreira de Paulo Gustavo.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM