Jornal do Commercio
Redes sociais

Justiça determina retirada de comentários ofensivos a Caetano Veloso

Escritor havia chamado o cantor baiano de 'pedófilo'

Publicado em 14/11/2017, às 20h17

Caetano Veloso está processando Flávio Martins / Reprodução
Caetano Veloso está processando Flávio Martins
Reprodução
Roberta Pennafort/Estadão Conteúdo

A Justiça do Rio determinou nesta terça-feira, 14, a retirada de comentários ofensivos ao compositor Caetano Veloso no Facebook e no Twitter por parte do escritor Flavio Azambuja Martins. Ele chamou Caetano de "pedófilo".

A juíza Flavia Gonçalves Moraes Alves, da 14ª Vara Cível da Capital, concedeu tutela antecipada e determinou que o réu apague as ofensas em 48 horas. Caso descumpra a decisão, Martins, que nas redes sociais assina Flavio Morgenstern, terá de pagar multa de R$ 300 por dia, até R$ 30 mil.

Caetano está processando Martins por espalhar a hashtag "CaetanoPedofilo". Pede indenização por danos morais e a retirada do conteúdo do ar. O compositor foi insultado por ter iniciado o relacionamento com sua mulher, Paula Lavigne, quando ela era menor de idade.



MOTIVOS

"Analisando os elementos trazidos aos autos, bem como as mensagens e palavras descritas na documentação acostada na inicial, não resta dúvida acerca da natureza difamatória e ofensiva destas, podendo acarretar ao autor consequências irreparáveis no que tange a sua imagem e ao seu nome", destaca a juíza em sua decisão. Ela marcou uma audiência de mediação/conciliação entre as partes para o dia 24 de janeiro de 2018.

Paula Lavigne comentou a decisão: "As pessoas estão confundindo a liberdade de expressão com abuso. Ofender não é liberdade de expressão, e comparar uma coisa com a outra é tentar desvirtuar esse direito. Essa vai ser a medida para todos os que usarem dos meios de comunicação para ofender", disse à reportagem. O Estado não conseguiu localizar Martins para comentar a sentença.

 

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM