Jornal do Commercio
Reforma

Após quase dois anos paradas, obras do Teatro do Parque são retomadas

A previsão é que a estrutura, que conta com R$ 5,6 milhões de recursos da PCR e R$ 3 milhões do MinC, seja entregue em 18 meses

Publicado em 13/06/2018, às 11h00

O Teatro do Parque, que fica na Rua do Hospício, no bairro da Boa Vista / Foto: Filipe Ribeiro/JC Imagem
O Teatro do Parque, que fica na Rua do Hospício, no bairro da Boa Vista
Foto: Filipe Ribeiro/JC Imagem
JC Online

Após quase dois anos paradas, as obras de reforma e restauro do Teatro do Parque foram retomadas. A previsão é que a estrutura física do teatro seja entregue em 18 meses e conta com R $ 5,6 milhões de recursos da Prefeitura da Cidade do Recife e R$ 3 milhões do Ministério da Cultura. Até lá, a prefeitura lançará outra licitação para adquirir equipamentos para o Cine Teatro, estimada em R$ 4 milhões.

A casa de espetáculos encontra-se fechada desde 2010, por causa de avarias generalizadas. Agora, após longa luta da classe artística e da sociedade civil por sua reabertura, o teatro tem a chance de voltar a ser um catalisador do pensamento artístico e cultural da capital pernambucana. A intervenção vai devolver ao Teatro do Parque as mesmas características da reforma executada no imóvel no começo da década de 1930. 




Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

O prédio

O prédio foi construído pelo comendador Bento Aguiar, comerciante português, com influências da arquitetura da virada do século 19 para o 20, em estilo art nouveau. A partir da década de 1959, passou à gestão da prefeitura e as políticas de democratização de acesso, com espetáculos e exibição de filmes e de shows a preços populares, como o Cinema a R$ 1 e o Projeto Seis e Meia, ou até gratuitamente, tornando-o um agregador de diferentes classes sociais.

Hoje, o equipamento é classificado pela prefeitura como Imóvel Especial de Preservação (IEP). Isso significa que não pode ser demolido e nem descaracterizado.


Recomendados para você


Comentários

Por Rodrigo,13/06/2018

Cidade sem prefeito. Não tem uma grande obra na cidade em todos estes anos. Um cara novo, deveria pensar grande; ter ótimos secretários e deixar algum legado para a cidade. Muito fraco! A via mangue não vale, apenas continuou o que já estava sendo feito (mesmo assim já está abandonada).. Esses caras vivem viajando para a Europa e EUA e não conseguem trazer nada de bom para a cidade. Um prefeito que vive fazendo propaganda na TV e rádio, na tentativa de mostrar alguma obra e não consegue mostrar nada e ainda tem a cara de pau de colocar um slogan de que recife é a capital do NE, mas nunca tem dinheiro para fazer nada que não seja com a ajuda do governo federal. Realmente, é uma afronta a inteligência de qualquer cidadão. A obra mostrada nesta reportagem, pasmem, a Prefeitura entra com um valor muito inferior ao que é destinado pelo governo federal e mesmo assim as obras não tem fim, vide o Geraldão, apenas como mais um exemplo, entre tantas obras intermináveis. Cidade suja, sem calçadas, sem organização no trânsito, sem investimento estrutural algum, cheia de camelôs por toda parte. A Capital do Nordeste, que não tem nenhuma avenida que se diga que é no mínimo bonitinha... Pobre cidade, que Geraldo acabou de enterrar, após as desastrosas gestões de João Paulo e João da Costa. Esse peso eu não carrego, porque não votei nele para um segundo mandato, depois de enxergar um primeiro mandato pífio. Agora aguentemos todos nós.

Por LYRA,13/06/2018

Vergonha, um estado sem governo e uma cidade sem prefeito, ou seja, uma verdadeira zona, onde ao invés de reformarem e darem condições aos hospitais já existentes, preferem construir novos hospitais para que os desvios de verbas sejam maiores, os superfaturamentos cresçam e as propinas sejam maiores, mesmo se sabendo que com dois ou no máximo três anos, os novos estejam tão sucateados quanto os antigos, como por exemplo Pelópida Silveira e Miguel Arraes, que nem mesmo vestuário tem para os pacientes.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM