Jornal do Commercio
Reforma

Após quase dois anos paradas, obras do Teatro do Parque são retomadas

A previsão é que a estrutura, que conta com R$ 5,6 milhões de recursos da PCR e R$ 3 milhões do MinC, seja entregue em 18 meses

Publicado em 13/06/2018, às 11h00

O Teatro do Parque, que fica na Rua do Hospício, no bairro da Boa Vista / Foto: Filipe Ribeiro/JC Imagem
O Teatro do Parque, que fica na Rua do Hospício, no bairro da Boa Vista
Foto: Filipe Ribeiro/JC Imagem
JC Online

Após quase dois anos paradas, as obras de reforma e restauro do Teatro do Parque foram retomadas. A previsão é que a estrutura física do teatro seja entregue em 18 meses e conta com R $ 5,6 milhões de recursos da Prefeitura da Cidade do Recife e R$ 3 milhões do Ministério da Cultura. Até lá, a prefeitura lançará outra licitação para adquirir equipamentos para o Cine Teatro, estimada em R$ 4 milhões.

A casa de espetáculos encontra-se fechada desde 2010, por causa de avarias generalizadas. Agora, após longa luta da classe artística e da sociedade civil por sua reabertura, o teatro tem a chance de voltar a ser um catalisador do pensamento artístico e cultural da capital pernambucana. A intervenção vai devolver ao Teatro do Parque as mesmas características da reforma executada no imóvel no começo da década de 1930. 




Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

O prédio

O prédio foi construído pelo comendador Bento Aguiar, comerciante português, com influências da arquitetura da virada do século 19 para o 20, em estilo art nouveau. A partir da década de 1959, passou à gestão da prefeitura e as políticas de democratização de acesso, com espetáculos e exibição de filmes e de shows a preços populares, como o Cinema a R$ 1 e o Projeto Seis e Meia, ou até gratuitamente, tornando-o um agregador de diferentes classes sociais.

Hoje, o equipamento é classificado pela prefeitura como Imóvel Especial de Preservação (IEP). Isso significa que não pode ser demolido e nem descaracterizado.


Recomendados para você


Comentários

Por Rodrigo,13/06/2018

Cidade sem prefeito. Não tem uma grande obra na cidade em todos estes anos. Um cara novo, deveria pensar grande; ter ótimos secretários e deixar algum legado para a cidade. Muito fraco! A via mangue não vale, apenas continuou o que já estava sendo feito (mesmo assim já está abandonada).. Esses caras vivem viajando para a Europa e EUA e não conseguem trazer nada de bom para a cidade. Um prefeito que vive fazendo propaganda na TV e rádio, na tentativa de mostrar alguma obra e não consegue mostrar nada e ainda tem a cara de pau de colocar um slogan de que recife é a capital do NE, mas nunca tem dinheiro para fazer nada que não seja com a ajuda do governo federal. Realmente, é uma afronta a inteligência de qualquer cidadão. A obra mostrada nesta reportagem, pasmem, a Prefeitura entra com um valor muito inferior ao que é destinado pelo governo federal e mesmo assim as obras não tem fim, vide o Geraldão, apenas como mais um exemplo, entre tantas obras intermináveis. Cidade suja, sem calçadas, sem organização no trânsito, sem investimento estrutural algum, cheia de camelôs por toda parte. A Capital do Nordeste, que não tem nenhuma avenida que se diga que é no mínimo bonitinha... Pobre cidade, que Geraldo acabou de enterrar, após as desastrosas gestões de João Paulo e João da Costa. Esse peso eu não carrego, porque não votei nele para um segundo mandato, depois de enxergar um primeiro mandato pífio. Agora aguentemos todos nós.

Por LYRA,13/06/2018

Vergonha, um estado sem governo e uma cidade sem prefeito, ou seja, uma verdadeira zona, onde ao invés de reformarem e darem condições aos hospitais já existentes, preferem construir novos hospitais para que os desvios de verbas sejam maiores, os superfaturamentos cresçam e as propinas sejam maiores, mesmo se sabendo que com dois ou no máximo três anos, os novos estejam tão sucateados quanto os antigos, como por exemplo Pelópida Silveira e Miguel Arraes, que nem mesmo vestuário tem para os pacientes.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM