Jornal do Commercio
Imbróglio

Curador não sabia que mostra do Santander Cultural seria cancelada

Gaudêncio Fidelis se pronunciou sobre o fechamento da exposição em Porto Alegre

Publicado em 12/09/2017, às 13h50

Gaudêncio Fidélis falou sobre o fechamento da mostra 'Queermuseum'. / Foto: Facebook/Reprodução
Gaudêncio Fidélis falou sobre o fechamento da mostra 'Queermuseum'.
Foto: Facebook/Reprodução
Por Luciano Nagel, especial para o Estadão Conteúdo

O curador da exposição Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, Gaudêncio Fidélis, afirmou na segunda-feira, dia 11, que não foi informado pelo Santander Cultural sobre o fechamento da exibição que estava em cartaz no centro de Porto Alegre desde o dia 15 de agosto. "Foi uma decisão unilateral do Santander. Nunca fui consultado sobre isso. Fiquei sabendo por uma mensagem que recebi de uma amiga que leu no Facebook", explicou.

A exposição contava com mais de 270 obras, que exploravam a diversidade dos gêneros, e estava prevista para ir até 8 de outubro. Mas foi cancelada no domingo, por causa da insatisfação de frequentadores, que acusaram a exposição de blasfêmia em redes sociais

Segundo o curador, os detalhes que aparecem nas obras expostas não fazem alusão a pedofilia, blasfêmia ou zoofilia. "Na obra intitulada Cena de Interior II, de Adriana Varejão (uma das mais polêmicas), não se pode dizer que um pequeno fragmento de uma pintura faz apologia à zoofilia, porque na verdade é uma obra crítica do processo de colonização do País", argumentou. Para Gaudêncio Fidélis, o fechamento da exposição foi uma atitude arbitrária.



Nas redes sociais, um grupo de apoio a favor da reabertura da exibição foi organizado. Nesta terça-feira, 12, um ato pela "liberdade de expressão artística e contra a LGBTfobia" será realizado a partir das 16 horas em frente do Santander Cultural, em Porto Alegre.

NOTA DO SANTANDER

Em nota, o Banco Santander pediu desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra. O objetivo "é incentivar as artes e promover o debate sobre as grandes questões do mundo contemporâneo, e não gerar qualquer tipo de desrespeito e discórdia".


Recomendados para você


Comentários

Por Rafael dos Santos Lopes,12/09/2017

As imagens de crianças NUNCA deveriam ser associadas com qualquer tipo de exposição que faça menção à conteúdo erótico . essa merda toda de atacarem o catolicismo também já encheu o saco quero ver esses "artistas" de merda desrespeitarem religiões que representadas por loucos equivocados frequentemente executam homossexuais em seus países de origem . esses caras são um bando de covardes e tentam esconder a sua intolerância para com os valores e fé alheias em uma pseudo arte que pelo que vi parece bem nojenta. temos que respeitar à maioria que não concorda em ver seus simbolos sagrados sendo desrespeitados para o público em geral . se eu associar os substantivos bichona ou sapatão à um individuo homossexual posso até ser processado ,e creio que isso seja correto MAS, esses cretinos podem escrever vagina em uma hóstia e colocar um macaco no colo de uma mulher representando a virgem maria que é arte? onde está a punição pelo desrespeito à maioria? não sou católico mas me sinto imensamente desrespeitado pela falta de limites dessa gente que tenho certeza não representa a grande maioria dos gays que apenas querem seus direitos civis garantidos e não tem a minima intenção de fazer esse circo todo.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM